Quinta-feira, 11 de Agosto de 2022

Barro de Bisalhães quer reconhecimento da UNESCO

O Barro Preto de Bisalhães foi recentemente reconhecido como património cultural nacional, por publicação em Diário da República no dia 5 de março de 2015 e inscrição no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial.

-PUB-

Este reconhecimento foi fruto do processo desencadeado pelo Município de Vila Real, com o apoio da Junta de Freguesia de Mondrões, da Associação Empresarial NERVIR e da Direção Geral do Património Cultural, entre outros, com o objetivo de preservar e divulgar o processo de confeção do Barro Preto de Bisalhães, segundo uma técnica ancestral e com enorme significado e relevância dos pontos de vista antropológico e etnográfico.

A Câmara Municipal de Vila Real prepara-se agora, para dar mais um importante passo na defesa desta tradição, candidatando o processo de confeção do Barro Preto de Bisalhães à Lista do Património Cultural Imaterial que necessita de salvaguarda urgente (UNESCO). O Município de Vila Real demonstra, uma vez mais, estar atento às tradições e cultura locais e à importância da sua preservação para as gerações futuras.

Hoje, dia 20 de março, a Assembleia da República saudou por unanimidade e aclamação o reconhecimento pelo Estado Português do Processo de Confeção da Louça Preta de Bisalhães como Património Cultural Imaterial e manifestou o seu apoio à iniciativa da Câmara Municipal de Vila Real de apresentação da candidatura a Património Cultural Imaterial da Humanidade, da UNESCO.

A edilidade vila-realense congratula-se com esta importante manifestação de apoio, levada a plenário por todos os deputados eleitos pelo distrito de Vila Real, Agostinho Santa, Ivo Oliveira, Luís Leite Ramos, Pedro Pimentel e Manuela Tender, subscrita por todos os Grupos Parlamentares e também pela Presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves.

A candidatura à UNESCO encontra-se praticamente concluída e será formalizada até ao final do mês de março. Brevemente será apresentada publicamente, assim como a Comissão de Honra e a Comissão Científica que a suportam.

O resultado final desta candidatura será conhecido em novembro de 2016.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.