Domingo, 13 de Junho de 2021

Bolo (é) Rei e filhó de jerimum é rainha

Na mesa de Natal, os doces têm um lugar especialmente reservado para quando chega a altura da sobremesa. Em Chaves, as rabanadas e a aletria são tradição, mas no trono os lugares são do bolo rei e da filhó de jerimum 

-PUB-

“Coze-se a jerimum e deixa-se escorrer de um dia para o outro”, foi a única coisa que Helena Carvalho referiu da sua receita das filhós de jerimum porque “depois cada pessoa tem o seu segredo na confeção e é isso que vai fazer a diferença”. 

A filhó de jerimum é um dos doces tradicionais que vai para a mesa das sobremesas de Natal dos flavienses e engane-se quem pensa que é igual à filhó a que os portugueses estão habituados. “A de abóbora é uma coisa e a de jerimum é outra”, sublinhou a produtora de fumeiro e pastéis de Chaves, que também se dedica, nesta quadra, à confeção de doces de Natal. 

“É mais alaranjada, mais

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.