Domingo, 17 de Outubro de 2021

Bombeiros querem Postos do INEM em todos os concelhos

Abranger todos os “territórios” de intervenção com o serviço do Instituto Nacional de Emergência Médica, INEM, é uma aspiração da Federação Distrital de Bombeiros do Distrito de Vila Real, secundada por todas as similares da zona Norte do País. Esta vontade será manifestada ao Governo e a outras entidades.

-PUB-

“A rede do INEM no distrito deve cobrir todo o território a 100 por cento”. Este é o desejo expresso pelo presidente da Federação Distrital de Vila Real, Alfredo Almeida. Reconhecendo que os transportes emergentes estão a correr bem, o dirigente avança com a ideia que “é necessário dotar os concelhos com Postos do INEM”, caso as associações o justifiquem e o aceitem”.

Alfredo Almeida lembrou ainda que o distrito de Vila Real tem apenas 8 unidades móveis do INEM e que há populações, de zonas geográficas mais afastadas dos centros urbanos, que sairiam beneficiadas com este serviço, como a Régua, que não tem um Posto do INEM.

O assunto será debatido num encontro da Liga, no dia 26 de Fevereiro, na Figueira da Foz, e é subscrito também pelas outras Federações da zona Norte, nomeadamente, Porto, Bragança, Viseu, Guarda.

Neste momento, existem Postos do INEM em Vila Real (Cruz Verde e Cruz Branca), Valpaços, Mesão Frio, Chaves (Salvação Publica), Vila Pouca de Aguiar, Murça e Montalegre. Assim, Peso da Régua, Boticas, Ribeira de Pena, Sabrosa, Alijó e Mondim de Basto são os concelhos que ainda não dotados com esta valência.

Alfredo Almeida aproveitou para evidenciar uma outra reivindicação, que tem a ver com o transporte de doentes. “Enquanto não for publicado o regulamento, por parte do Governo, não haverá negociações com a Administração Regional de Saúde do Norte, sobre o transporte de doentes”. Esta é uma exigência à qual se junta uma outra que pode ser benéfica para muitas corporações, já que há uma verba comunitária de 5 milhões disponível e à qual podem concorrer todas as associações. “Queremos ser esclarecidos sobre os critérios de atribuição de fundos para que todas as corporações fiquem em pé de igualdade no momento de concorrer”, concluiu.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.