Segunda-feira, 25 de Outubro de 2021

Caçadores descontentes com novo regime de caça

A quinta-feira é o dia permitido para caça à perdiz vermelha na reserva municipal de Alijó. Esta redução para apenas um dia está a levantar algumas críticas por parte dos caçadores, que habitualmente frequentam esta zona. Contudo, o Município garante que para o próximo ano irá voltar a permitir a caça à quinta-feira e ao domingo.

-PUB-

A ideia pretendia ter um importante alcance cinegético, mas acabou por não ser bem acolhida pelos inúmeros caçadores que demandam o concelho nesta altura do ano. “A ideia passava por preservar o efectivo das perdizes existentes, já que a procura era muita”, conforme nos disse Adérito Figueira, vereador na autarquia de Alijó.

Este ano, a caça à perdiz só é autorizada às quinta-feiras, o que é visto como um contra-senso, dado que aos domingos é que a maioria dos caçadores têm disponibilidade para se dedicar a este passatempo, cujo patrono é Santo Huberto. Aliás, muitos caçadores, oriundos dos mais variados pontos do país, deslocaram-se a Alijó mas não puderam caçar aos domingos. Perante isto, “a autarquia mostrou vontade em alterar e repor também o domingo, mas como o planeamento é aprovado em Maio de cada ano pelo Ministério da Agricultura, agora não é possível mudar”. Porém, em 2011, o Município vai propor a caça aos sábados e domingos, reduzindo de dois meses para um mês. Fora deste contexto, aparece o coelho, ao qual a caça é permitida às quintas e aos domingos.

De sublinhar que, a reserva de caça municipal da Câmara de Alijó é uma das maiores do distrito, que vai desde o rio Pinhão (Vale de Mendiz) até ao IP4, na zona do Alto do Pópulo. Ao mesmo tempo, representa uma mais valia em termos de atracção turística.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.