Sexta-feira, 30 de Setembro de 2022

Capela da Misericórdia requalificada

Foi simbolicamente reaberta a Capela da Misericórdia, depois de um interregno motivado pela intervenção à sua estrutura, em particular ao telhado, altares e às pedras tumulares.

-PUB-

A intervenção foi realizada pela Mesa Administrativa da Santa Casa da Misericórdia, tendo sido comparticipada em 155 mil euros pelo programa operacional Norte2020. Contou ainda com o apoio da câmara municipal em 34% do investimento não comparticipado, num total de 360 mil euros, sendo o valor remanescente suportado pela Santa Casa da Misericórdia de São João da Pesqueira.

No primeiro dia da novena consagrada à Nossa Senhora dos Remédios, após a bênção no exterior do capelão da Santa Casa da Misericórdia, as portas da Capela reabriram, permitindo a todos o regresso à celebração dentro do espaço religioso.

Depois de umas breves palavras de enquadramento da obra realizada pelo provedor da Santa Casa da Misericórdia, o padre Filipe Pereira, falou ainda o presidente da câmara municipal, Manuel Cordeiro, e foi feita uma contextualização histórica pelo arqueólogo André Botto.

Em comunicado, a câmara municipal revela que esta obra “ainda não está totalmente concluída”, mas prevê-se que isso aconteça no próximo mês de setembro, com a colocação do altar lateral e restauro do órgão e a inauguração do núcleo museológico da Santa Casa.

No processo de restauro foram descobertas as “ossadas e as pedras tumulares da família Távora, com os brasões picados, depois da sentença que todos conhecemos e que agora se encontram condignamente expostas”, acrescenta a nota da autarquia.

A Capela já estava em condições de acolher a novena, mas a partir de agora foi permitida a celebração no seu interior, de forma a cumprir a tradição da festa em Honra de Nossa Senhora dos Remédios.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.