Quarta-feira, 14 de Abril de 2021

Casa do Douro com eleições agendadas para maio

O Ministério da Agricultura deverá concluir em fevereiro “o processo” para que a eleição dos novos órgãos sociais da Casa do Douro se realize em maio, disse hoje a ministra Maria do Céu Albuquerque.

A nova lei, que entrou em vigor a 01 de janeiro e foi aprovada na Assembleia da República, reinstitucionaliza a Casa do Douro como associação pública e de inscrição obrigatória, define os seus estatutos e determina a entrega a esta entidade do imóvel sede, localizado na cidade de Peso da Régua.

O diploma refere que o “regulamento eleitoral é aprovado por portaria do membro do Governo com a tutela da agricultura até 60 dias após a entrada em vigor da presente lei”.

Na mesma portaria, será “determinada a constituição da comissão eleitoral e marcadas as datas relativas ao processo eleitoral a decorrer até 150 dias após a entrada em vigor da presente lei”.

Questionada sobre a Casa do Douro, a ministra da Agricultura disse que, nesta altura, está a ser preparado o “processo eletivo”, prevendo que esteja terminado durante o mês de fevereiro para que a “eleição, propriamente, possa ocorrer durante o mês de maio”.

Em simultâneo, referiu, estão a ser “determinadas as condições” para a regularização das dívidas da Casa do Douro “às entidades públicas”.

“Estamos em crer que, até final deste primeiro semestre, a Casa do Douro fica com as melhores condições para poder continuar a sua atividade”, afirmou Maria do Céu Albuquerque, que falava à margem de uma visita a uma exploração agrícola afetada pelo mau tempo de dezembro.

A Casa do Douro, criada em 1932, viveu durante anos asfixiada com uma dívida ao Estado.

O Governo PSD/CDS-PP preparou uma alteração legislativa, transformando o estatuto de direito público e inscrição obrigatória em associação de direito privado e de inscrição voluntária.

A natureza pública da instituição foi extinta em dezembro de 2014, sendo posteriormente aberto um concurso para a gestão privada da instituição, que foi ganho pela Federação Renovação do Douro em detrimento da outra concorrente, a Associação da Lavoura Duriense.

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.