Quarta-feira, 17 de Agosto de 2022

Casa-Museu Miguel Torga abre no verão em S. Martinho de Anta

Projeto já foi apresentado pela Direção Regional da Cultura do Norte, num investimento a rondar os 100 mil euros

-PUB-

A casa de Miguel Torga, em S. Martinho de Anta, Sabrosa, vai ser transformada em museu, num projeto da Direção Regional da Cultura do Norte (DRCN), que foi apresentado no sábado, no Espaço Miguel Torga, com a presença de mais de uma centena de pessoas, que depois seguiu para uma visita à casa do escritor, que se encontra a poucos metros daquele local.

O diretor da DRCN espera que a casa-museu abra as portas ao público no próximo verão. “Já estamos a trabalhar no espaço e a filha do escritor, Clara Rocha, que nos doou a casa no ano passado, também já aprovou o projeto arquitetónico. Agora, estamos a trabalhar no processo de musealização”, sublinha António Ponte, que explicou que a casa-museu será “um ponto de partida para uma visita ao espaço mais íntimo do poeta”, que funcionará em complementaridade com o Espaço Torga. “Por estar tão perto e já aqui existir uma exposição foto-bibliográfica do Miguel Torga, nós tivemos necessidade de diferenciar o nosso projeto para que a casa seja complementar a esta estrutura”.

Na casa-museu será criado um circuito de visita com todas as condições de acolhimento e de receção dos visitantes, assim como será organizado um percurso de visita que facilitará a circulação e a apreensão dos conteúdos. Haverá duas áreas distintas, uma de interpretação e uma vivência. Há espaços que se manterão tal e qual estão e que foram deixados pelo próprio Miguel Torga, com os seus móveis e objetos, nomeadamente a sala e o hall de entrada, que tem marcas do escritor, como por exemplo da caça, que serão preservados e mantidos. Depois há um conjunto de espaços na casa que serão interpretados numa perspetiva universalista, isto é, a partir de Sabrosa, Miguel Torga no mundo. “Ou seja, pretende ser um ponto de lançamento de pontes para a internacionalização, não só da sua vivência mas também da sua obra, transformando-o num poeta-escritor universal. Queremos dar esta dimensão, mostrando a partir da sua obra, quais eram os espaços do seu quotidiano na região que ele mais gostava”, reforçou o diretor regional.

O investimento global ronda os 100 mil euros, uma vez que não haverá alterações significativas, nem a construção de um edifício. As visitas já têm um plano de programação conjunto com a autarquia de Sabrosa, ou seja aquelas que forem agendadas para o Espaço serão depois encaminhadas para a casa-museu e vice-versa. “Faz todo o sentido que assim seja, já que o visitante quando for ver o espaço do quotidiano do escritor, já está familiarizado com a sua vida e obra, uma vez que já esteve no Espaço Miguel Torga. Aliás, só assim se perceberá melhor a vivência do espaço íntimo do escritor”, sustenta António Ponte.

O presidente da União das Freguesias de S. Martinho de Anta e Paradela de Guiães, José Luís Gonçalves, está confiante que a transformação em museu da casa do escritor transmontano seja uma boa oportunidade para o desenvolvimento económico do concelho e não só. “Esperamos que este projeto traga a S. Martinho de Anta uma opção que marque a região, para daí retirarmos dividendos, tanto sociais como económicos”.

Nos últimos anos, cerca de 5 a 6 mil turistas visitam S. Martinho de Anta, mas com a abertura da casa-museu, o edil espera que seja uma boa oportunidade para ampliar esse número de forma significativa. “Este núcleo cultural já é grande mas poderá ser muito maior. Está aqui uma excelente oportunidade para Sabrosa e para o Douro. Segundo as estatísticas, nos últimos anos vêm a S. Matinho cerca de seis mil visitantes para ver o busto, Torga, o negrilho e a casa fechada. Hoje temos outras condições e por isso esperamos triplicar o número de visitas”, finalizou José Luís Gonçalves.

Já o presidente da autarquia de Sabrosa, José Marques, frisou que está aqui mais um motivo de atração ao concelho, não só de turistas mas também de estudiosos do escritor. “Podemos aumentar ainda mais o número de visitantes e ver a atenção despertar ao nível das escolas e nos jovens, já que S. Martinho de Anta é um destino incontornável para quem estuda Miguel Torga”.

Paralelamente à apresentação da casa-museu, foi promovido o lançamento da reedição do livro “Viajar com… Torga”, da autoria do professor Vítor Lousada, um roteiro que permite aos turistas visitar a região, guiando-se pelos lugares que inspiraram o escritor, desde o largo do Eirô, a capela de Nossa Senhora da Azinheira, o santuário rupestre de Panóias, os miradouros de São Leonardo de Galafura ou de São Salvador do Mundo. “É uma forma do turista percorrer os caminhos que Torga percorreu. É ao mesmo tempo um roteiro cultural e turístico, numa perspetiva de que a cultura e o turismo têm de andar muito associados”, frisou o diretor da DRCN.

Miguel Torga nasceu em 1907 em São Martinho de Anta, concelho de Sabrosa. O edifício que agora será transformado em museu é uma pequena casa térrea, com jardim e pomar, na qual Miguel Torga e a família passavam as férias de Natal, Páscoa e de verão, e onde o poeta escreveu muitos dos seus poemas, contos e páginas de diário.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.