Domingo, 3 de Julho de 2022

Catorze barragens com planos de segurança

Catorze barragens que estão a ser construídas nos Distritos de Vila Real, Bragança e Viseu, obedecem a normas rígidas de segurança, sendo vigiadas e fiscalizadas em permanência – segundo referiu Alexandre Chaves, Presidente do Conselho de Administração da ATMAD. Para precaver a ocorrência de qualquer acidente, todas as barragens geridas pela empresa multimunicipal “Águas de […]

Catorze barragens que estão a ser construídas nos Distritos de Vila Real, Bragança e Viseu, obedecem a normas rígidas de segurança, sendo vigiadas e fiscalizadas em permanência – segundo referiu Alexandre Chaves, Presidente do Conselho de Administração da ATMAD.

Para precaver a ocorrência de qualquer acidente, todas as barragens geridas pela empresa multimunicipal “Águas de Trás-os-Montes” estão dotadas de Planos de Segurança.

Esta garantia foi avançada pelo Presidente do Conselho de Administração da ATMAD, Alexandre Chaves. Estão neste caso catorze barragens, destinadas ao abastecimento de água e distribuídas pelos distritos de Vila Real, Bragança e Viseu. “Todos os empreendimentos obedecem a normas rígidas de segurança. Além da nossa vigilância, são controlados pelo Laboratório Nacional de Engenharia Civil, LNEC, e monitorizados pelo Instituto Nacional da Água, INAG” – acrescentou Alexandre Chaves, reforçando, ainda, que “a empresa executa tudo o que é sugerido pelo LNEC”.

Segundo o mesmo responsável, os “índices de segurança das barragens é muito elevado. Todas elas são dotadas de planos de segurança, o que acontece com as que estão, neste momento, a ser construídas. Neste momento, a ATMAD está a construir cinco barragens: Ferradosa (Freixo de Espada à Cinta), Olgas (Torre de Moncorvo), Sambade (Alfandega da Fé), Torre do Pinhão e Pretarouca (Lamego), todas elas já obedecendo às regras de segurança estipuladas.

“Todas elas são edificadas, com muito rigor, nesta área” – disse, Alexandre Chaves que reforçou: “As represas são vistoriadas e acompanhadas, anualmente, por técnicos do LNEC e do INAG”.

Vários pontos das estruturas das barragens são monitorizados e merecem especial atenção dos técnicos. Refira-se que as catorze barragens, integradas na empresa “Águas de Trás-os-Montes e Alto Douro”, estão quase na capacidade máxima de retenção de água. Os seus valores rondam os 95%. Ao todo, neste momento, o volume de água retido nas albufeiras das barragens ronda os cerca de 170 milhões de metros cúbicos de água.

 

José Manuel Cardosoa

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.