Terça-feira, 13 de Abril de 2021

CIM do Alto Tâmega pede “bom senso” no processo

Saúde e educação são as áreas que mais preocupam os autarcas da região.

À margem da Feira do Fumeiro, e numa altura em que o Ministério da Modernização e da Administração Pública está a promover um roteiro dedicado à descentralização, Orlando Alves, presidente da Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega, pediu “bom senso” no processo “que não volta atrás” e sublinhou que a saúde e a educação são as áreas que mais preocupam os presidentes de câmara. 

“A proximidade do eleitor com o eleito é uma coisa muito boa, gera mais eficácia, e faz com que o eleito veja os seus problemas mais facilmente resolvidos. O receio dos autarcas é que essa proximidade e a capacidade reivindicativa de setores tão importantes como a saúde e a educação tenham um ímpeto

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.