Quinta-feira, 11 de Agosto de 2022

Complexo Desportivo abre no verão

Investimento ultrapassa os três milhões de euros e poderá voltar a receber equipas, seleções, que terão todas as condições para ali realizarem os seus estágios

-PUB-

As obras do Complexo Desportivo de Lamego decorrem a bom ritmo e devem estar prontas já no início do verão. Esta é a convicção do presidente da Câmara de Lamego, Francisco Lopes, que na segunda-feira acompanhou o secretário de Estado do Desporto e Juventude, Emídio Guerreiro, numa visita de trabalho ao equipamento. “Foi um processo que tardou a ser iniciado mas no final de junho deverá abrir. Serão criadas melhores condições para os clubes e coletividades do concelho e também poderão existir aqui um conjunto de iniciativas promovidas por outras entidades, o que esta casa já fez durante muito tempo com algum sucesso”.

As obras visam a adaptação do pavilhão existente à prática de várias modalidades e a requalificação dos campos de futebol, com novos balneários, minigolfe e circuito de manutenção. Serão ainda adaptadas várias salas para as mais diversas valências desportivas. De fora ficaram apenas os espaços destinados à arrecadação.

Num investimento que supera os três milhões de euros, o autarca frisa que inicialmente estava previsto o espaço ser transformado num centro de alto rendimento, no entanto, por questões de ordem orçamental, o projeto teve de ser abandonado por ser “muito caro”, valores na ordem dos oito milhões de euros. “O dinheiro é sempre pouco e se em vez de três milhões, fossem seis seria muito melhor. Estamos a fazer a obra possível no momento certo, uma vez que se não fosse agora, ainda neste quadro comunitário de apoio (QREN), no próximo seria impossível, uma vez que a componente desportiva não vai ser prioritária”, ressalvou o edil, sublinhando ainda que a execução financeira é elevada e exige “um esforço grande da câmara”, mas necessário para devolver à cidade, à região e ao país o Complexo Desportivo de Lamego.

O autarca destacou que a empreitada decorre dentro do prazo estabelecido e na próxima época os clubes já poderão usufruir do novo equipamento. “Contamos com as associações e clubes para usar este equipamento, mas iremos também fazer uma promoção adequada junto de outros agentes desportivos, para que Lamego volte a receber equipas e seleções”.

Já o secretário de Estado do Desporto, Emídio Guerreiro, referiu que esta requalificação só foi possível graças às “sobras” dos fundos comunitários, em que uma parte significativa foi alocada para infraestruturas desportivas. “Há um ano existiam zero cêntimos para estas obras. Quando estive cá a assinar o protocolo de cedência deste espaço para a gestão da câmara, recordo-me de ter visto algumas preocupações dos agentes locais com o futuro deste centro, mas nós, governo, já estávamos a trabalhar em articulação de forma a poder viabilizar este projeto, que vai permitir que Lamego volte a receber equipas, seleções, que no passado já aqui faziam as suas preparações”.

O governante sublinhou ainda a importância do desporto na economia local. “Teremos aqui novamente uma referência do desporto nacional que espera não só os vossos atletas mas sobretudo os atletas que virão para cá dinamizar o centro e também a economia de Lamego. Estes equipamentos servem para as modalidades mas têm de servir também para ajudar as economias locais, como a vida dos restaurantes, quiosques, hotelaria, lojas, de toda esta teia que garante a criação de riqueza, de valor e de emprego”. O responsável pela pasta do desporto finalizou esta visita com otimismo, ao referir que esta unidade “vai voltar a ser uma referência em Lamego e no país”.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.