Sexta-feira, 25 de Junho de 2021

Concelho de Vila Real com 158 casos ativos de Covid-19

Há ainda cerca de 220 pessoas em isolamento.

-PUB-

Informação foi avançada, há instantes, pelo presidente da câmara municipal, à margem da cerimónia de inauguração do Espaço Igualdade, situado no bairro S. Vicente de Paulo.

Para Rui Santos, estes são dados "preocupantes", tendo em conta que "se olharmos para a percentagem de casos em função de 100 mil habitantes, entramos claramente numa zona pouco confortável".

O autarca aproveita para lembrar os vila-realenses para que "respeitem todas as normas da Direção-Geral de Saúde (DGS) porque só dessa forma é possível ultrapassarmos esta situação que a cada dia nos vai preocupando mais e vai aumentando a sua gravidade".

"Vêm aí dias e meses frios, algo que não vai ajudar e por isso é importante que todos tenhamos consciência que isto não depende das leis, nem do Estado central, depende de cada um nós", acrescenta.

Questionado sobre que medidas é que o munícipio tenciona colocar em prática, tendo em conta o aumento de casos, o edil recorda que "temos feito tudo aquilo que nos é permitido por lei". "Neste momento retomamos a desinfeção de espaços com grande aglomerado de pessoas, temos feito uma campanha de sensibilização para que se respeitem as regras da DGS, temos reunido com a GNR e PSP que, de forma pedagógica, vão acompanhando os estabelecimentos comerciais e os transportes públicos, porque são eles que têm essa missão. Fora isso, pouco podemos fazer", explica.

Rui Santos lembra, ainda assim, que para o dia de Todos os Santos, "temos tudo preparado para que, não impedindo que as pessoas possam visitar os seus entes queridos nos cemitérios, o façam respeitando algumas regras".

"Tenho esperança que a situação não piore. Caso isso aconteça, pode acontecer-nos o que aconteceu a Lousada, Felgueiras e Paços de Ferreira [que estão em semi-confinamento], e isso será muito mau para todos. A pandemia é um caso de saúde, mas a vida tem de continuar, tem de continuar a haver economia, temos de manter os postos de emprego, as nossas crianças têm de continuar a ir à escola, mas para isso é necessário que todos têm consciência dos seus deveres", conclui.

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.