Quarta-feira, 17 de Agosto de 2022

Depois de ter sido apanhado pela terceira vez ficou em preventiva

Diz o ditado que à “terceira é de vez”, e assim foi para um indivíduo que depois de ter sido presente três vezes a tribunal, no espaço de três semanas, pelo mesmo crime vai agora aguardar o julgamento na prisão

-PUB-

A Polícia de Segurança Pública de Vila Real (PSP) anunciou, no dia 2, a detenção, pela terceira vez, e desta feita em flagrante delito, de um homem que já tinha sido “apanhado” por furto no interior de veículos, mas que agora vai aguardar julgamento em prisão preventiva.

“Esta é já a terceira detenção do suspeito, no espaço de três semanas, sendo que agora também está referenciado por crimes de falsificação de documentos, uma vez que usou um documento de identificação alheio e assinou vários cheques em nome desse cidadão”, explicou a PSP.

Em comunicado, aquela força de segurança relatou que foi efetuada uma nova busca domiciliária à residência do suspeito, “onde foi encontrada mais documentação relativa aos veículos alvo de furto e aos seus proprietários, nomeadamente, documentos de identificação pessoais, chaves, correspondência e cheques furtados”.

O homem, de 54 anos, foi detido pela primeira vez a 15 de junho, tendo sido na altura aplicada a medida de coação de apresentações semanais às autoridades. Pouco depois de ter saído do tribunal voltou a ser identificado pela PSP quando apareceram três novas queixas de furto ao interior de viaturas, crimes que apresentavam o mesmo “modus operandi” utilizado pelo suspeito. De volta ao tribunal, voltou a sair em liberdade. Agora, presente pela terceira vez ao Tribunal da Comarca de Vila Real, acabou por lhe ser aplicada a medida de coação mais gravosa, a Prisão Preventiva.

Além de todos os crimes dos quais já estava indiciado, o suspeito vai ainda responder “por mais um crime de furto qualificado, dois de furto simples, um de furto de interior de veículo na forma tentada, e cinco de falsificação de documentos, suspeitando-se que seja responsável pelo furto de cerca de 30 veículos ocorridos ultimamente na capital de distrito.

O suspeito, que, inclusivamente, já teria cumprido pena de prisão pela prática deste tipo de crimes e se encontrava com pena suspensa, tinha a particularidade de furtar só os documentos pertencentes às viaturas e de não deixar qualquer dano ou vestígio.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.