Sexta-feira, 30 de Julho de 2021

Enfermeiros transmontanos lutam por melhores condições de trabalho

Esta manhã, um pequeno grupo de enfermeiros concentrou-se em frente em Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro a reivindicar melhores condições de trabalho e progressões na carreira.

-PUB-

Em declarações à VTM, Alfredo Gomes, do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, referiu que é uma luta que se arrasta desde o ano passado para “valorizar e dignificar” as carreiras. “Em maio de 2019, foi reformulada a carreira de enfermagem, mas tínhamos problemas anteriores com descongelamento das carreias, em que, por exemplo, no Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro não foram atribuídos pontos que achamos corretos e justos para mais de metade dos enfermeiros”, lamenta, adiantando que querem relembrar o Ministério da Saúde que há problemas anteriores à pandemia que querem ver resolvidos.

O dirigente sindical sublinha que os enfermeiros “agradecem as palmas”, no entanto, lembra que “não fizeram mais do que a nossa obrigação”. “Não estamos à espera de prémios, queremos aquilo que é justo pelo trabalho que fazemos”.

Alfredo Gomes disse ainda que estiveram reunidos com o Ministério da Saúde, mas os resultados “não foram animadores, uma vez que ainda não nos responderam a praticamente nada das nossas reivindicações”.

O CHTMAD tem cerca de mil enfermeiros, mas o sindicato quer que a administração contrate mais profissionais, uma vez que foram contratados alguns para esta fase da Covid-19, o que quer “dizer que são necessários nas unidades hospitalares”. “Queremos que os contratos até ao final de dezembro se tornem efetivos”.    

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.