Domingo, 17 de Outubro de 2021

Escola de Águas Frias reabriu

No âmbito do processo da reorganização escolar, o encerramento das antigas Escolas Primárias tem sido um processo comum. Porém, ainda se encontram exemplos que nem sempre isso acontece. É o caso da Escola de Águas Frias, no concelho de Chaves, que, ao fim de cinco anos de portas fechadas, está a funcionar com 29 crianças, graças à concentração de alunos que vieram de outras aldeias.

-PUB-

A Câmara Municipal de Chaves deitou mãos à obra e conseguiu recuperar as velhas instalações da antiga telescola e transformá-las num espaço cómodo para as crianças. O presidente da Câmara Municipal de Chaves, João Baptista, abordou este assunto ao Nosso Jornal. “Águas Frias tem essa história interessante. Foi desactivada há cinco anos por não ter alunos e nós, agora, reabrimos esta escola, que passa a ter boas condições. Fica localizada dentro da nossa área e cumpre os requisitos de tempo e de acesso. Sendo assim, colocámos lá 29 alunos. Além disto, temos um ‘circuito escolar’ que se adequa bem, ou seja, o autocarro cumpre o trajecto num período máximo de 20/25 minutos”.

Neste processo, o autarca fez questão de salientar o trabalho com as populações, presidentes de junta de freguesia, pais e professores, no sentido de manter regras essenciais que regeram esta concentração. “As escolas têm melhor logística e nenhuma criança pode ser deslocada para uma escola que tenha piores condições do que a anterior. Quando isso acontece, nós temos de proporcionar melhores condições. Águas Frias tinha duas salas pré-fabricadas degradadas e nós colocámos lá duas salas suplementares com casas de banho, onde as crianças estão bem, com todo o conforto. Tentamos também que as crianças não viajem que mais 20 minutos”.

A escola serve as localidades de Águas Frias, Bobadela Eucidres, Tronco, entre outras.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.