Sábado, 2 de Julho de 2022

Esquadra renasce pelas mãos de agentes

A habilidade na área da construção de alguns agentes do comando vila-realense da Polícia de Segurança Pública tem dado os seus frutos, no que concerne à poupança em despesas de mão-de- -obra em vários projectos de reestruturação das suas instalações. Prova disso são as obras da esquadra situada no edifício do Governo Civil que, graças […]

A habilidade na área da construção de alguns agentes do comando vila-realense da Polícia de Segurança Pública tem dado os seus frutos, no que concerne à poupança em despesas de mão-de- -obra em vários projectos de reestruturação das suas instalações. Prova disso são as obras da esquadra situada no edifício do Governo Civil que, graças à arte e ao engenho de cinco agentes, terão melhores condições, para os cidadãos vila-realenses

O próximo dia 21 de Abril, Dia do Comando da Polícia de Segurança Pública (PSP) de Vila Real, ficará marcado pela inauguração das renovadas instalações da esquadra que, desde o início do ano, sofreram obras profundas que contaram com mão-de-obra exclusiva de agentes da autoridade.

“As obras já estão na recta final”, garantiu, ao Nosso Jornal, António Lopes, polícia há 24 anos e um dos cinco agentes do Comando de Vila Real que, durante os últimos meses, tirou a farda da PSP para trabalhar nas obras de reestruturação da esquadra vila-realense, situada no edifício do Governo Civil.

“A remodelação contou com o apoio financeiro do Governo Civil e, através da criação de um espaço mais confortável e com mais qualidade, vai permitir um acolhimento mais digno à população”, explicou Serafim Tavares, Comandante da PSP local.

Uma ideia confirmada pelos próprios agentes que, desde Janeiro, arregaçaram as mangas e mostram, agora, com um orgulho bem visível, o produto das suas habilidades em áreas como a pintura, a electricidade, a carpintaria e construção.

“Tirámos paredes, colocámos tectos falsos, pintámos, construímos um chão novo, enfim, temos agora um excelente espaço”, sublinhou Alcides Vieira, agente da PSP, há 29 anos.

Agostinho Borges e Jorge Moreira também participaram nas obras que, na parte eléctrica, está a ser colmatada com o trabalho do agente Magalhães.

Para além das horas de trabalho do expediente, “também foram precisos alguns fins-de–semana”, recordou António Lopes, esclarecendo, no entanto, que o grupo de agentes não recebeu qualquer gratificação extra. Pelo contrário, “até perderam o subsídio de patrulha”.

“Ninguém nos obriga, estamos a fazer isto porque gostamos”, ressalvou o mesmo agente que também participou, activamente, nas obras de reestruturação das antigas instalações do Comando (situadas, antes, no edifício da Câmara Municipal de Vila Real) e nas obras da actual sede da PSP, em Lordelo, que contaram também com a mão-de-obra de reclusos do estabelecimento prisional de Vila Real.

Para além de uma sala de espera condigna, a renovada esquadra oferece, agora, aos vila–realenses, melhores condições, no que diz respeito à privacidade, para a apresentação de queixas.

A inauguração será marcada pela presença de um membro do Governo que, no mesmo dia, e segundo fonte da Guarda Nacional Republicana (GNR), irá inaugurar as novas instalações do Serviço de Protecção da Natureza (SEPNA) de Vila Real.

A mesma fonte explicou que, aos poucos, estão a ser feitos os trabalhos de recuperação e a mudança do SEPNA, para a vivenda do Parque Florestal, que, de há alguns a esta parte, está desocupada, tendo sido cedida, agora, provisoriamente, pela Direcção Geral de Serviços Florestais, àquela força de segurança.

 

Maria Meireles

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.