Domingo, 17 de Outubro de 2021

Fiolhoso, 2 | Vila Real, 3

Apesar do frio que se fez sentir em Fiolhoso, os adeptos compareceram em bom número para ver mais um jogo do campeonato da Divisão de Honra da AFVR, entre o primeiro classificado e o Fiolhoso, que tem vindo a fazer uma prova regular. Os dados estavam lançados, num jogo onde os locais se bateram com galhardia e estiveram perto de roubar pontos ao líder incontestado da prova. Mas, valeu a maior experiência do plantel alvi--negro, que lhe permitiu manter a distância para o segundo classificado, o Santa Marta.

-PUB-

Sem qualquer receio do nome do adversário, o Fiolhoso entrou forte no jogo, pressionado a toda a largura do terreno, não deixando espaços ao adversário para planear o seu futebol. O Vila Real sentia dificuldades para furar o bloco defensivo contrário e só de bola parada conseguia criar perigo. Aos 11’, de livre, Schuster remata forte para uma excelente intervenção de Sérgio, a aliviar pela linha final. Na cobrança do pontapé de canto, há uma grande confusão na área, há ainda um remate perigoso, mas depois a defesa da casa foi mais rápida a tirar a bola da área. Volvidos 5 minutos, o Fiolhoso num lance muito rápido, vai chegar ao golo. Num jogada pura de contra-ataque pela direita, João ultrapassa Abreu e, já dentro da área, desfere um remate cruzado que bateu no poste e entrou na baliza, fazendo o primeiro golo do encontro. A resposta saiu dos pés de Bouças, sempre muito lutador na frente, que ganhou a bola a meio-campo, galgou terreno e já na área foi travado por Choco, grande penalidade que Célia Santos não teve qualquer dúvida em assinalar. Chamado à conversão, Schuster rematou colocado, restabelecendo a igualdade, decorria o minuto 22. Volvidos três minutos, Bessa teve uma boa ocasião, mas Sérgio negou o golo ao extremo alvi-negro. O jogo passou a ser disputado no centro do terreno, onde os visitados conseguiam anular as investidas do actual líder da prova, que só perto do final da primeira parte vai conseguir chegar à baliza contrária, no entanto, sem criar dificuldades para Sérgio. O empate ao intervalo, era um resultado que espelhava bem o equilíbrio dos primeiros 45 minutos.

Na segunda metade, o técnico vila-realense deixou o apagado Henrique nos balneários e colocou Tiago em jogo, que trouxe mais velocidade ao sector ofensivo da sua equipa. Aos 55’, Zé Pedro dá um toque em Francis que acaba por cair na área, nova grande penalidade, que Célia Santos não teve dúvidas em marcar o castigo máximo. Mas, desta vez Schuster permitiu a defesa a Sérgio, que aliviou pela linha final. Na sequência do pontapé de canto, a bola é colocada ao segundo poste, onde aparece Fredy a cabecear para o fundo da baliza, fazendo o segundo golo para a sua equipa. Estava feita a reviravolta no marcador. O Fiolhoso não esmoreceu e foi à procura de anular o prejuízo, que conseguiu num remate de belo efeito do jovem Nelson. À entrada da área, Nelson enche o pé e remata para golo, sem qualquer hipóteses de defesa para Cabreca, restabelecendo assim a igualdade. Mas, os donos da casa não se contentavam com o empate e tentaram chegar de novo à vantagem. Tiveram uma grande ocasião aos 69’, mas Cabreca negou o golo a Alex. Depois, foi a vez de Huguinho rematar forte, mas a bola saiu por cima do travessão. Aos 79’, de livre, Bouças atirou à barra. E aos 84’, num livre estudado, Bouças coloca em castanha, que entra na área e remata forte, fazendo o terceiro golo da sua equipa.

Num terreno sempre difícil, o Vila Real conquistou uma vitória muito sofrida e continua confortável no topo da classificação. O Fiolhoso lutou por outro resultado, tentou contrariar o maior poderio do adversário, mas não foi feliz.

Quanto ao trabalho do trio de arbitragem, Célia Santos esteve bem na análise técnica dos lances, nomeadamente nas grandes penalidades, mas pecou no capítulo disciplinar, já que ficaram alguns cartões por mostrar.

No próximo jogo, o Vila Real recebe o Pedras Salgadas, no Monte da Forca, já o Fiolhoso tem uma deslocação até Ribeira de Pena.

 

Nuno Pereira, treinador-adjunto do Vila Real

“O Vila Real está em primeiro lugar por mérito próprio”

Nuno Pereira respondeu às palavras do técnico da casa, que teceu duras críticas à actuação do trio de arbitragem.

“Eu respeito a opinião do técnico adversário, mas ele também tem que respeitar o nosso trabalho. Se ele teve divergências com a equipa de arbitragem, nós também as tivemos. Gostava que ele fosse correcto e que falasse do que realmente se passou. Não deve olhar só para o umbigo dele. Nós respeitamos o adversário, os adeptos, as arbitragens e todos os agentes envolvidos, mas ele tem que respeitar a nossa equipa, porque não foi só o Fiolhoso que foi prejudicado, o Vila Real também foi. Quanto ao jogo, posso dizer que vencemos num terreno sempre difícil, perante um adversário muito motivado por jogar com o Vila Real, mas mostramos aqui que sabemos jogar perante condições adversas, mas os campeões também se fazem assim, destas batalhas, destas lutas. Vamos pensar já na próxima etapa, que passa por vencer o Pedras Salgadas. Esperamos que não surjam condicionalismos como aconteceram hoje. O Vila Real está em primeiro lugar por mérito próprio, não é levado ao colo pelas equipas de arbitragem”.

 

Filipe Gonçalves, treinador do Fiolhoso

“Só pedimos que nos deixem jogar”

O técnico local sublinhou que a vitória do Vila Real foi condicionada pela actuação da equipa de arbitragem.

“Somos uma equipa de uma aldeia, e mais uma vez, fomos injustiçados, já que merecíamos muito mais. Graças a Deus, a minha equipa não precisou de grandes penalidades para fazer golos. Aliás, marcamos dois excelentes golos, um verdadeiro hino ao futebol. Depois, houve alguém que decidiu que nós não merecíamos nem um ponto, mesmo assim, continuamos a lutar e no próximo jogo lá estaremos a lutar, a trabalhar pela conquista de um bom resultado. Só pedimos que nos deixem jogar a bola, porque trabalhamos durante a semana e os dirigentes pagam os vencimentos dos atletas para conquistarmos resultados positivos. Agora, ou eu não percebo nada de regras de jogo ou esta equipa de arbitragem inventou duas grandes penalidades. Sinceramente, o nosso trabalho não pode ser denegrido desta forma”.

 

Ficha Técnica

 

Jogo disputado no Campo do Fiolhoso.

Árbitro: Célia Santos

Auxiliares: Camilo Ferreira e Rosa Coutinho.

FIOLHOSO – Sérgio, Carlos, Agostinho, Alex, João, Solas (Miguel, 86’), Huguinho, Choco, Zé Pedro (Vítor Cardoso, 60’), Nelson, Nuno Silva.

Suplentes não utilizados: Márcio, Hugo Letra e Marco.

Treinador: Filipe Gonçalves

VILA REAL – Cabreca, Bessa, Fredy, Abreu, Peixoto, Nunes (Coutinho, 65’), Shuster, Castanha, Bouças, Henrique (Tiago, 45’), Francis (Felícia, 45’).

Suplentes não utilizados: Ivo, Manuel Tapada e Júnior.

Treinador: Abel Ferreira.

Ao intervalo: 1 – 1

Marcadores: João (17’), Schuster (22’), Fredy (55’), Nelson (64’), Castanha (84’).

Cartões amarelos: Henrique (4’), Choco (22’), Zé Pedro (55’), Tiago (70’), Abreu (75’), Nuno Silva (83’), Castanha (84’), Agostinho (90’).

Cartões Vermelhos: Peixoto (93’) e Agostinho (93’).

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.