Quarta-feira, 20 de Outubro de 2021
OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Forças vivas das cidades vão reunir para debater o “futuro do Pioledo”

Depois de apresentar publicamente o seu descontentamento com a redução de horário dos estabelecimentos de diversão nocturna existentes na zona do Pioledo, a Associação que representa dos comerciantes da capital vila-realense convocou as várias forças vivas da cidade para debater a problemática e analisar “que futuro querem para a noite de Vila Real”. Ontem, representantes da ACIVR e dos empresários fizeram-se representar na reunião pública do executivo municipal.

-PUB-

A Associação Comercial e Industrial de Vila Real (ACIVR) vai promover, no dia cinco de Março, um encontro entre várias entidades da capital de distrito com o objectivo de colocar sobre a mesa a discussão da medida autarquia de redução do horário de funcionamento dos estabelecimentos daquela zona da cidade, bem como a “Importância da animação nocturna em Vila Real – Princípios por que se deve reger”.

José Ricardo, presidente da ACIVR, confirmou ontem, ao Nosso Jornal, que já foram enviadas as convocatórias às várias entidades, entre as quais, por exemplo, a Câmara Municipal de Vila Real, o Governo Civil, a Associação Empresarial Nervir, a Entidade Regional de Turismo do Douro, a Universidade de Trás-os- -Montes e Alto Douro e a Polícia de Segurança Pública.

O dirigente associativo falou ao Nosso Jornal minutos antes de, acompanhado com representantes dos empresários dos estabelecimentos de diversão nocturna localizados na zona do Pioledo, participar na reunião do executivo municipal. No entanto, à hora de fecho desta edição a reunião ainda não tinha terminado, não sendo por isso possível fazer um balanço sobre os temas abordados.

“Primeiro, foi-nos dado a entender que seríamos recebidos na última quinta-feira, o que não aconteceu. Até agora não foi dada nenhuma resposta por parte da Câmara”, lamentou José Ricardo, justificando assim a iniciativa de participar na reunião da autarquia aberta ao público.

De recordar que, a deliberação que ordena a redução de horários dos estabelecimentos de diversão nocturna existentes na zona do Pioledo “apanhou de surpresa” a Associação Comercial, que considera a medida como “prejudicial” para os empresários, podendo representar, em alguns casos, uma redução de 60 por cento da facturação diária.

Num comunicado enviado ao Nosso Jornal, a ACIVR classificou mesmo a decisão da autarquia como um “profundo desrespeito pelos empresários”, empreendedores que “decidiram investir as suas poupanças e, na maior parte dos casos, com recursos a crédito”, na busca “de uma vida melhor, gerando emprego e criando riqueza”, mas também um “total desrespeito pela ACIVR enquanto associação e parceira, uma vez que foi tomada sem qualquer aviso e contrariando todas as indicações fornecidas nas várias reuniões de trabalho realizadas”.

Com a reunião, “queremos debater o problema do barulho e analisar alternativas”, explicou José Ricardo, revelando que, depois do encontro, a ACIVR vai tomar uma posição oficial sobre a problemática.

O mesmo responsável revelou que, se não houver alterações, a redução dos horários de funcionamento de fecho em uma hora deverá entrar em vigor no início do próximo mês, pese embora ainda haja muitas dúvidas relativamente a quem é que ela se aplica (“a todos os estabelecimentos sem excepção, inclusivamente à discoteca existente na zona?”) e exactamente a que zona diz respeito (apenas ao edifício conhecido como Pioledo, ou também nos arredores mais próximos?) Ficam as dúvidas.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.