Quarta-feira, 7 de Dezembro de 2022
No menu items!
0,00 EUR

Nenhum produto no carrinho.

Greve da função pública: escolas e serviços de saúde encerrados no distrito

A paralisação já encerrou algumas escolas durante a manhã e à tarde haverá mais constrangimentos

PUB

A greve da função pública desta sexta-feira encerrou escolas no distrito e condicionou serviços de saúde.

Em Chaves, no Agrupamento de Escolas Dr. António Granjo, na escola sede, na  escola Dr. Francisco Gonçalves Carneiro, EB1 N.º 3 de Chaves (Caneiro) e no Jardim de Infância de Chaves não houve componente letiva devido à elevada adesão à greve dos assistentes operacionais. No Agrupamento de Escola Dr. Júlio Martins, os alunos do primeiro ciclo do centro escolar Santa Cruz Trindade não tiveram aulas e só o pré-escolar está a funcionar. Em Vila Real, as duas escolas do Agrupamento Morgado de Mateus estiveram abertas de manhã, ainda que com a atividade letiva muito condicionada e à tarde vai encerrar.

A mesma situação se repete noutras escolas do distrito, que durante a tarde deverão encerrar devido à adesão à greve do pessoal da cantina ou por causa da falta de transportes. É o que acontece nas escolas de Ribeira de Pena, de Cerva, na D. Sancho II em Alijó e na de Montalegre, segundo informação da delegação de Vila Real da Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais.

Também nos hospitais a greve está a afetar os serviços. No Hospital de Chaves a maior adesão foi no turno da noite, quando só funcionaram os serviços mínimos. No turno da manhã a adesão ronda os 50%.

Já no hospital de Vila Real, há serviços encerados, com a adesão a rondar os 70%, sendo os serviços mínimos assegurados no bloco e nas urgências.

No Centro de Saúde n.º I em Chaves uma das unidades está encerrada e no Centro de Saúde n.º II a adesão à greve na Unidade de Saúde Familiar a adesão à greve foi de 100% por parte dos médicos.

A Frente Comum de Sindicatos, que convocou esta greve, exige aumentos salariais de 10% ou um mínimo de 100 euros para a administração pública no próximo ano.

EM ATUALIZAÇÃO

PUB

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.