Terça-feira, 7 de Dezembro de 2021

Homem ferido em acidente pirotécnico “não tinha licenciamento” para atividade

O homem que no sábado ficou ferido com gravidade num acidente pirotécnico em Covas do Douro, concelho de Sabrosa, não possui licenciamento para aquela atividade, segundo a “averiguação preliminar” da PSP, que está a investigar o incidente.

-PUB-

“A vítima, que se encontra em estado grave e foi transferida para uma unidade hospitalar no Porto, não se afigura ser titular ou alguma vez ter sido titular de licenciamento para a atividade de pirotecnia”, adianta a PSP num comunicado divulgado hoje.

Segundo refere, após o acidente, elementos do Departamento de Armas e Explosivos (DAE) daquela polícia deslocaram-se “de imediato” ao local, tendo apurado, “em sede de averiguação preliminar, que a vítima não se encontrava a proceder ao lançamento ou preparação de fogo-de-artifício”.

Conforme explica, estaria, “sim, a proceder à desmontagem de quatro balonas (dispositivo que procede ao transporte e rebentamento do fogo de artifício em altitude), com o fim de retirar as bombetas e a pólvora”.

A PSP diz que “continuará a realizar a análise pericial para apurar o contexto concreto do acidente”, sendo depois as respetivas conclusões “remetidas à autoridade judiciária competente”.

“Renovamos o apelo para que o manuseamento de todo o material pirotécnico seja realizado exclusivamente por pessoas credenciadas”, salienta, afirmando a permanente disponibilidade do seu Departamento de Armas e Explosivos “para prestar todo o apoio à população nesta matéria”.

A vítima, de 59 anos, ficou “gravemente ferida” no sábado, devido à explosão de material pirotécnico que manuseava.

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.