Sexta-feira, 3 de Dezembro de 2021

Homenagem a combatentes e mortos na Guerra do Ultramar

Desde o dia 26 de outubro, a marcar a entrada em Peso da Régua existe o Memorial aos Combatentes e Mortos do Ultramar, naturais do concelho.

-PUB-

A cerimónia de homenagem decorreu na presença de familiares dos militares que faleceram. Foram momentos marcados por muito sentimento, em cumprimento de uma homenagem justa aos reguenses que deram o melhor de si, com o sacrifício das suas famílias e das suas próprias vidas na Guerra do Ultramar. 

José Manuel Gonçalves, presidente da câmara, disse que esta é uma forma de honrar “a memória destes militares e de Peso da Régua, porque assim somos capazes de definir e cumprir a história do nosso povo”.

O Memorial aos Combatentes e Mortos do Ultramar, da autoria do arquiteto Paulo Moura, localiza-se num pequeno, mas muito importante largo da cidade.

O monumento é constituído por uma base em pedra de granito que se eleva ligeiramente do passeio, destacando-se da envolvente. No cunhal sobrepõem-se uma série de blocos que representam as ex-províncias de ultramar – Angola, Moçambique e Guiné, atravessadas em toda a sua espessura por buracos, representando o furo de projeteis, distribuídos em número proporcional ao número de combatentes mortos. 

Lateralmente, ascendendo do topo do granito, uma pedra de mármore branco, que representa Portugal e a Paz, recebeu a inscrição do nome de cada um dos combatentes mortos do concelho, que no sábado foram homenageados 

Em comunicado, a câmara municipal agradece o desafio proposto pela Companhia de Caçadores 2759, cujos sobreviventes marcaram presença nas cerimónias. 
O agradecimento alargou-se ao Regimento de Infantaria N13, ao bispo da Diocese de Vila Real, D. António Azevedo, ao arcipreste Luís Marçal, e ao pároco de Godim, José Oliveira e Castro.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.