Quarta-feira, 20 de Outubro de 2021

Horários desencontrados e turmas mais pequenas

Ideia é defendida pelo ministro da Ciência, Tecnologia e do Ensino Superior para que universidades e politécnicos possam retomar atividade.

-PUB-

Durante uma audição regimental na comissão parlamentar de Educação, Ciência, Juventude e Desporto, Manuel Heitor defendeu que as universidades e os institutos politécnicos estão preparados para fazer o levantamento progressivo das medidas de contenção da Covid-19 após o estado de emergência, que termina no sábado.

"Ainda nenhuma instituição disse que não estaria preparada para fazer o levantamento progressivo das medidas de contenção" referiu o ministro.

Estas instituições de ensino estão encerrados desde 16 de março, na sequência das medidas excecionais e urgentes decretadas pelo Governo devido à Covid-19, com as aulas a fazerem-se à distância, uma tarefa que, para muitos alunos, está a a ser difícil. Quanto a isso, Manuel Heitor afirmou que "são as próprias instituições que estão a facilitar os meios informáticos aos estudantes que não tinham computador".

Há mais de uma semana, o gabinete de Manuel Heitor emitiu uma orientação a recomendar às instituições científicas e do ensino superior que, até quinta-feira, "elaborem planos para levantamento progressivo das medidas de contenção", incluindo "a reativação faseada" de atividades letivas e não letivas presenciais, devendo as instituições "estar preparadas para a sua concretização faseada a partir de 4 de maio".

Segundo a orientação, o ensino à distância deve ser combinado, "sempre que possível", de forma gradual, com "atividades presenciais", tais como aulas práticas e laboratoriais, avaliação e estágios.

Da esquerda à direita, os deputados quiseram saber se o Governo vai apoiar financeiramente as universidades e institutos politécnicos com a compra de máscaras e com os custos adicionais com a eventual contratação de professores para garantir aulas presenciais nas devidas condições de segurança. Perguntas que não tiveram qualquer resposta.

 

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.