Sábado, 25 de Maio de 2024
No menu items!

Hotel do Parque com cara lavada

Esqueleto com mais de 30 anos está a ter uma intervenção básica, mas o futuro final do edifício ainda continua uma incógnita

-PUB-

A Câmara Municipal de Vila Real está a levar a cabo algumas intervenções no edifício abandonado do Hotel do Parque, para garantir a “segurança e salubridade” de um espaço localizado no centro da cidade. 

“Relatórios indicaram que a estrutura estava em condições de segurança pouco adequadas”, explicou o autarca Rui Santos, justificando assim a necessidade de fazer algumas obras no local. 

Segundo o autarca vila-realense, “foram seguidos os trâmites legais”, ou seja, os proprietários foram notificados, tendo sido exigido que fizessem as intervenções necessárias. “Não o tendo feito, nós fazemos e iremos debitar os custos aos proprietários”, esclareceu o mesmo responsável político.

Assim, além do emparedamento do edifício, a autarquia está a limpar a zona envolvente, sendo de sublinhar que serão removidos os taipais existentes, “que já foram colocados pela Câmara Municipal e que estão agora em estado de degradação”.

“Queremos dar um aspeto visual mais limpo e mais adequado a um espaço que está no centro da cidade”, concluiu Rui Santos.

Situado na Avenida 1.º de Maio, o inacabado Hotel do Parque conta, na sua história, com episódios que envolveram a hipótese de demolição, a sua reconversão num edifício de habitação e escritórios, a sua vertente de abrigo a toxicodependentes (tendo sido encontradas duas pessoas mortas por overdose no seu interior) e, mesmo, o assassinato de um dos herdeiros, residente no Brasil, o que levou, na altura, ao retrocesso nas negociações entre os proprietários e possíveis compradores.

Em 2007 foi então a anunciada a sua transformação num hospital privado, mais exatamente num “bloco de residências medicalizadas apoiado por um parque de estacionamento para 140 lugares”, um projeto da responsabilidade do Hospital da Trofa e do Grupo Existence que, no entanto, por motivos vários nunca saiu do papel.

 

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

VÍDEOS

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS