Domingo, 3 de Julho de 2022

Incêndio de Alijó foi dado como extinto

Ddepois de quase três dias e de muitos prejuízos deixados no concelho Alijó, anunciou o presidente da Câmara, Carlos Magalhães.

Carlos Magalhães afirmou que o “incêndio está extinto” mas garantiu que o “importante é estar prevenido” pelo que, frisou, os meios vão manter-se no terreno esta noite e durante o dia de quarta-feira.

“O importante é estarmos vigilantes. Vamos estar com bastantes meios no terreno”, frisou em declarações cerca das 19:20.

Por isso, nas operações de rescaldo e de vigilância vão continuar mobilizados 645 operacionais, 100 militares do Exército, oito máquinas de rasto e 162 veículos. Na quarta-feira, se for preciso, poderão ainda ser acionados nove meios aéreos.

O autarca considerou que o Plano de Emergência Municipal, acionado na segunda-feira, também ajudou ao reforço de meios no terreno.

“Foi um conjunto de situações que nos possibilitou chegar a esta hora e dizer que está extinto o incêndio”, sustentou.

Agora, depois do fogo, é “preciso olhar para as pessoas, para o território e para a nossa economia”.

“O evitar situações idênticas é uma consequência de povoarmos novamente o território, de reflorestarmos e atrairmos as pessoas e dizer-lhes que vale a pena continuar aqui”, salientou.

Carlos Magalhães sublinhou que os prejuízos deixados pelo fogo “são enormes”, mas quanto a balanços disse que só depois de percorrer todo o concelho e falar com os presidentes das juntas das freguesias afetadas.

“Amanhã [quarta-feira] vamos para o terreno, vamos começar com equipas multidisciplinares e vamos estar nas juntas de freguesia, começar a dar apoio às pessoas, depois fazer um levantamento das necessidades e, por fim, fazer um cálculo dos prejuízos”, salientou

Por fim, o presidente aproveitou para deixar um agradecimento a todos os operacionais que estiveram no terreno, desde os militares da GNR e do Exército, aos muitos bombeiros e também à comunicação social.

“Foram os senhores que nos puseram sempre em direto com Portugal e valeu a pena porque nos ouviram e reforçaram-nos os meios. Também tenho a agradecer todo o vosso trabalho”, salientou.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.