Terça-feira, 18 de Janeiro de 2022
©DR

Independentes nos órgãos da Associação Nacional de Municípios

Os grupos de cidadãos passam a ter representação pela primeira vez nos órgãos da Associação Nacional dos Municípios Portugueses (ANMP).

-PUB-

É a primeira vez que os movimentos independentes conseguem estar representados na ANMP, apesar de o reclamarem há vários anos.

No Conselho Diretivo o lugar será ocupado pelo presidente da Câmara de S. João da Pesqueira, Manuel Cordeiro, que tem sido uma das principais vozes na reivindicação à alteração à lei eleitoral das autárquicas.

Os Grupos de Cidadãos Eleitores nas últimas eleições autárquicas, conseguiram ganhar 19 Câmaras Municipais e 413 Freguesias, reforçando a sua posição como a terceira maior força política a nível nacional.

Conselho Diretivo:

Efetivo: Manuel Cordeiro, Presidente da Câmara Municipal de São João da Pesqueira;

Suplente: Teresa Cardoso, Presidente da Câmara Municipal de Anadia.

Mesa do Congresso:

Efetivo: Aurélio Ferreira, Presidente da Câmara Municipal da Marinha Grande

Suplente: António Jorge Franco, Presidente da Câmara Municipal da Mealhada.

Conselho Geral:

Efetivos: Sofia Maia, Presidente da União de Freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos; Elisabete Oliveira, Presidente da Assembleia Municipal de Oeiras; Sérgio Costa, Presidente da Câmara Municipal da Guarda;

Suplentes: Flávio Massano, Presidente da Câmara Municipal de Manteigas; António Anselmo, Presidente da Câmara Municipal de Borba; João Campolargo, Presidente da Câmara Municipal de Ílhavo.

O presidente da Câmara Municipal de S. João da Pesqueira, Manuel Cordeiro, foi eleito no domingo no XXV Congresso da ANMP, como o primeiro independente a ter assento no conselho diretivo da ANMP.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.