Quinta-feira, 7 de Julho de 2022

Jovem agredido violentamente à porta de um bar

Pedro Taveira, de 22 anos, foi agredido violentamente na madrugada do dia 29, à saída de um bar, na zona do Pioledo, em Vila Real.

Teve de ser assistido no Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, onde foi saturado com vários pontos em locais distintos da face. “Levei pontos em quatro sítios da cara, estou com problemas na visão e poderei ter de ser operado ao maxilar”.  

 

 

O jovem revela que antes da agressão houve uma troca de palavras entre a sua namorada e dois indivíduos, sendo que um “deles a insultou”. “Foi ter com eles fora do bar para pedir explicações, mas eles negaram tudo. Ignorei, virei costas e voltei para dentro do bar”, conta o queixoso, acrescentando que “nem se lembrou mais do assunto”. No entanto, quando veio para fora do espaço noturno, conta que estavam cerca de 20 rapazes, que o começaram a ameaçar e também aos amigos. “Partiram para a violência. Deitaram-me ao chão e pontapearam-me até alguém nos ajudar e acabar com a confusão”, adiantou Pedro Taveira.   

Já fora da hora de funcionamento, um grupo tentou entrar no café/bar, mas a sua intenção foi travada pelo proprietário porque já era tarde e o estabelecimento estava encerrado.

Nessa mesma noite, a Polícia de Segurança Pública (PSP) foi chamada ao Pioledo, onde ocorreram alguns incidentes. No entanto, quando os agentes chegaram ao local, os possíveis agressores já não estavam ali. 

Na queixa apresentada às autoridades, Pedro Taveira conseguiu alegadamente identificar dois indivíduos, que segundo ele “são militares do Regimento de Infantaria (RI) nº 13”, em Vila Real. “Algumas testemunhas ajudaram-me a identificar dois agressores, através das redes sociais, onde aparecem fardados à militar”, sustenta o agredido. 

Fonte do RI13 refere que está disponível para colaborar com a PSP, no entanto salientou que a presumível agressão ocorreu fora do quartel, pelo que a jurisdição da investigação do caso pertence à PSP.

Os moradores desta zona da cidade queixam-se de constantes distúrbios em volta dos bares, tendo de chamar por diversas vezes a PSP para repor a ordem. 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.