Segunda-feira, 14 de Junho de 2021

Junta de freguesia de Mouçós é também posto dos CTT

O serviço já funciona desde agosto, mas a inauguração oficial aconteceu esta sexta-feira, na presença da secretária de Estado da Valorização do Interior.

-PUB-

Era algo há muito ambicionado pela população e pelo próprio executivo da união de freguesias de Mouçós e Lamares e agora tornou-se realidade, com um posto dos CTT a funcionar na sede da junta de freguesia de Mouçós.

O serviço de proximidade traz vantagens à população, que assim evita deslocações e ajuntamentos, principalmente em tempo de pandemia.

Para Hélder Afonso, presidente da união de freguesias, este posto permite "servir a população de Mouçós/Lamares, São Tomé do Castelo e Justes, parte da população da freguesia de Mateus e já tivemos população dos concelhos de Murça e Sabrosa", acrescentando que, durante o período de confinamento, a população como que lançou o desafio de "trazer para aqui este serviço para evitar as deslocações", e assim foi.

"Em conversações com os CTT, conseguimos trazer este serviço de proximidade para Mouçós", realça, explicando que, neste posto, "é possível pagar contas, enviar e receber correspondência, levantar pensões, pagar impostos, o que é uma mais valia".

Para acolher este serviço, a junta de freguesia teve de fazer algumas adaptações, entre as quais "a sala de atendimento que tinha de ser maior, fizemos uma rampa para permitir a entrada às pessoas com mobilidade reduzida e também uma casa de banho que possa ser usufruída por todos".

Presente na inauguração esteve Isabel Ferreira, secretária de Estado da Valorização do Interior, que caracterizou este serviço de proximidade como "fundamental para os territórios do interior".

Notícia desenvolvida na edição de 22 de outubro de 2020

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.