Quarta-feira, 20 de Outubro de 2021

Lançada Petição Pública para tornar Boletim Epidemiológico do Alto Tâmega público

Entretanto, a ministra da Saúde reagiu às críticas dos autarcas, a quem fez um apelo para que apenas seja divulgada informação da DGS.

-PUB-

Depois das críticas dos autarcas do Alto Tâmega, sobre o facto de o Ministério da Saúde ter “proibido” a divulgação dos dados da covid-19, a não ser os disponibilizados pela DGS, surgiu na internet uma petição pública, designada “Queremos o Boletim Epidemiológico do Alto Tâmega público”, que até às 14h30 contava já com 720 assinaturas.

Em menos de 24 horas, a petição reuniu 720 assinaturas, em que os cidadãos pedem para que os dados da região do Alto Tâmega sejam disponibilizados à população, como era feito anteriormente.

A petição está acessível em: https://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT98438&fbclid=IwAR33MP2AHL2OrSnlbsdnEMguXbiG9c_dESdKUoui2cRdzU6yVkUH0R_Ek-U

O Alto Tâmega é constituído pelos concelhos de Boticas, Chaves, Montalegre, Ribeira de Pena, Valpaços e Vila Pouca de Aguiar.  

Ministra apela aos autarcas para divulgar apenas a informação da DGS

Entretanto, na conferência de imprensa diária da Direção-Geral da Saúde, a ministra da Saúde, Marta Temido, revelou que “não há qualquer proibição de partilha de informação”, mas sim “um apelo à informação consistente”.

“Não há qualquer proibição de partilha de informação. Há, sim, um apelo claro a todas as entidades que integram o Ministério da Saúde, em especial as autoridades locais e regionais de saúde, para que se concentrem no envio de informação atempada e consistente a nível nacional”, esclareceu, alertando para o perigo de análises que podem não ser as mais corretas. “Os boletins parcelares podem ser causadores de análises fragmentadas”.

A governante pediu às autoridades de saúde locais para continuar a partilhar informação com as autarquias, no entanto, disse que o devem fazer “utilizando apenas os dados da DGS, de forma a esclarecer eventuais discrepâncias”.

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.