Quinta-feira, 29 de Julho de 2021

Manifesto Cultural contra venda de barragens pela EDP

Cinco associações culturais do Planalto Mirandês uniram-se e apresentaram um manifesto cultural, onde chamam a atenção para as alegadas injustiças relativas à venda das barragens no Douro por parte da EDP.

-PUB-

Mais de meio milhar de pessoas já subscreveu o manifesto, onde os proponentes defendem que as receitas fiscais geradas por esta transação, pela tributação dos lucros anuais destas barragens, bem como o IVA da venda da energia, “beneficiam apenas o poder central”.

Acrescenta ainda que “mesmo os impostos municipais beneficiam quase exclusivamente a cidade de Lisboa, onde está a sede da EDP”. Na terra de Miranda, onde estão instaladas as barragens de Miranda do Douro, Picote e Bemposta, “não fica praticamente nada”, pode ler-se no manifesto enviado à agência Lusa.

O manifesto revela ainda que este modelo “é injusto e caduco”, uma vez que aquilo que sobra para a região “são os impactos ambientais negativos da construção e da exploração das barragens”.

“No centro da cidade de Miranda Douro e no coração das Arribas do Douro subsiste uma pedreira de grandes dimensões, de onde foi retirado o granito para as barragens, a céu aberto e ao abandono, que nunca foi reparada. O mesmo acontece em Picote e Bemposta”, sublinham, adiantando que, por estas razões, este modelo “injusto deve acabar e deve ser corrigido por um modelo justo”.

MANIFESTO QUER CHEGAR AO PRESIDENTE

As associações culturais pretendem levar o manifesto à Presidência da República, Assembleia da

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.