Segunda-feira, 4 de Julho de 2022

“Mestre” Ricardo segurou uma nau completamente à deriva

O Desportivo de Chaves pontuou  pela primeira vez no campeonato ao empatar na deslocação a Setúbal, num jogo fortemente marcado pelo intenso calor que se fez que sentir, e em que os setubalenses apenas se podem queixar da sua ineficácia e da excelente exibição do guarda-redes transmontano.

A primeira parte foi disputada a um ritmo lento e sem grandes oportunidades de golo, embora Ricardo tenha sido chamado a intervir em duas/três situações. Por seu lado,  conjunto transmontano raramente se aproximou com perigo das redes defendidas por Trigueira.

A equipa de José Couceiro, que  foi quase sempre melhor que os “ Valentes Transmontanos”, acabou  com naturalidade por se adiantar no marcador por João Amaral,  num cabeceamento que Ricardo defendeu e posteriormente  a bola foi embater no poste e nas costas do dono das redes flavienses antes de se anichar nas redes.

O conjunto sadino construiu oportunidades para dilatar o marcado mas, umas vezes por ineficácia e outras por mérito do guardião Ricardo não conseguiu fechar as contas do jogo.

No último quarto de hora do jogo e quanto Luís Castro tinha apostado tudo para chegar à igualdade, foi Pedro Tiba que,  com um grande golo na seguimento de um livre, restabeleceu a igualdade.

Com a igualdade no marcador  e com os transmontanos mais desequilibrados, foram os sadinos que mais perto estiveram de tomar a dianteira no marcador, contudo, apesar de situações para tal nunca conseguiram.

Refira-se que o encontro ficou marcado por uma decisão do VAR. O árbitro Manuel Mota marcou grande penalidade num lance em que Paulinho jogou ostensivamente bola com a mão na grande área, mas alertado  pelo VAR, acabaria, e bem, por inverter a decisão inicial, já que Gonçalo Paciência cometeu falta sobre Furlan no início da jogada

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.