Terça-feira, 21 de Maio de 2024
No menu items!

Miguel Poiares Maduro é o novo presidente do Conselho Geral da UTAD

-PUB-

Os sete membros cooptados do Conselho Geral da UTAD tomaram hoje posse, dia que foi também eleito Miguel Poiares Maduro, professor universitário e antigo ministro-adjunto e do desenvolvimento regional do Governo de Pedro Passos Coelho, como novo presidente daquele órgão.

O presidente eleito afirmou, através de um comunicado da academia, ser “uma honra suceder" ao também antigo ministro Silva Peneda e poder contribuir “para o crescimento da UTAD e a sua afirmação como uma instituição académica e científica de excelência e de forma ambiental e socialmente sustentável”.

O Conselho Geral da UTAD é um órgão de decisão estratégica e de fiscalização e cujas competências passam por organizar o procedimento de eleição e eleger o reitor, que irá substituir António Fontaínhas Fernandes que termina o seu segundo mandato à frente da reitoria da academia transmontana.

A eleição para o novo reitor tem lugar no próximo dia 29 de março de 2021.

O Conselho Geral é composto, no total, por 25 membros internos e externos à UTAD.

Para além de Poiares Maduro, tomaram também posse como membros cooptados: António Marquez Filipe, presidente da direção da Liga dos Amigos do Douro Património Mundial, Cristina Azevedo, analista financeira que presidiu à Fundação Cidade de Guimarães, Mário Lopes dos Santos, dirigente na Agência Europeia do Controlo das Pescas; Miguel Pinto, diretor da Continental Advanced Antenna Portugal, Rosário Gamboa, professora do Ensino Superior, antiga presidente do Instituto Politécnico do Porto e atualmente deputada à Assembleia da República e Rúben Claro da Fonseca, diplomado da UTAD e que é atualmente quadro da Lusiaves.

Estes membros foram cooptados através de convite e juntam-se aos 18 membros eleitos que estarão em funções até 2024.

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

VÍDEOS

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS