Sábado, 27 de Novembro de 2021

Mistura de tradições ancestrais com a modernidade para animar o Natal

O município de Miranda do Douro promove a "Tierra Natal", com um conjunto de iniciativas culturais e recreativas que "misturam" as tradições ancestrais da festas solsticiais do Planalto Mirandês, "com um toque de modernidade", para atrair visitantes.

-PUB-

"O que pretendemos fazer é juntar as festas do Solstício de Inverno, que decorrem até ao dia de Reis, e, ao mesmo tempo, incorporar neste evento outras festividades mais recentes que se realizam nesta quadra, em cada uma das aldeias do concelho, de forma a atrair visitantes", explicou o presidente da Câmara, Artur Nunes.

A "Tierra Natal ", uma iniciativa que tem início no sábado, prologando-se até 11 de janeiro, inclui, ainda, a iluminação natalícia, uma tenda com diversões para toda a família, que vão desde o teatro à música, passando pela dança e expressão plástica são outros dos atrativos.

Ao todo, estão programadas mais de mais de três dezenas de atividades repartidas por todo o concelho de Miranda do Douro e que prometem " aquecer" quem visita, por esta altura do ano, o Planalto Mirandês.

"As atividades programadas vão desde a folia dos mascarados de inverno, fogueiras de galo, festivais música, jornadas culturais dedicadas a figuras do solstício, o enterro do ano velho umas jornadas transfronteiriças dedicadas ao projeto 'Flumem Durius'", enumerou o autarca trasmontano.

Em Miranda do Douro, as festividades concentram-se-se no centro histórico, sendo esta uma forma de dinamizar o comércio tradicional, instalado nesta zona da cidade.

No meio rural o destaque vai para as festas solsticiais da Velha e Galdrapa, em São Pedro da Silva (15 de dezembro), Festa dos Moços, em Constantim (26 a 30 de dezembro) e a Festa da Velha e do Menino, em Vila Chã da Braciosa (01 de janeiro de 2020).

A queima do ano velho, uma iniciativa promovida e recuperada pelo Museu das Terras de Miranda, é outros dos pontos altos destas festividades.

"Queremos reavivar as tradições ancestrais do concelho, dando-lhe vida no seu contexto natural, as quais se perdem na história do tempo", vincou Artur Nunes.

Outras das ideias passa por envolver as gerações mais novas, no reviver das tradições de um território, que ainda mantêm a pureza dos seus rituais. mais ancestrais, ligados a esta ao tempo de inverno.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.