Quinta-feira, 30 de Junho de 2022

Nazaré Pereira renuncia à Vice Presidência da Autarquia

Motivações de natureza “pessoal, profissional e política” foram as razões apresentadas por Nazaré Pereira, para a renúncia do cargo de Vice-Presidente da Câmara Municipal de Vila Real. Os pelouros do Vereador demissionário ficarão a cargo de Dolores Monteiro. No entanto, apenas no dia 20 deverá ser conhecido o nome de quem deverá assumir a Vice-Presidência, […]

Motivações de natureza “pessoal, profissional e política” foram as razões apresentadas por Nazaré Pereira, para a renúncia do cargo de Vice-Presidente da Câmara Municipal de Vila Real. Os pelouros do Vereador demissionário ficarão a cargo de Dolores Monteiro. No entanto, apenas no dia 20 deverá ser conhecido o nome de quem deverá assumir a Vice-Presidência, na autarquia vila-realense.

 

Numa reunião extraordinária do executivo autárquico, realizada no dia 12, foi tornada pública a carta de renúncia de Nazaré Pereira da Vice- -Presidência da Câmara Municipal de Vila Real.

Até à hora de fecho desta edição do Nosso Jornal não foi possível entrar em contacto com o ex-Vereador. No entanto, na tarde de Terça-feira, depois da reunião municipal, Manuel Martins, Presidente da Câmara, declarou que as razões que levaram a renúncia foram de índole “pessoal, profissional e política”.

“Ao fim de dois anos de mandato, fechou-se um ciclo, com a conclusão da Carta Educativa”, explicou o edil, salientando que o pedido de demissão não foi uma surpresa, uma vez que Nazaré Pereira já tinha expressado a sua vontade de deixar a autarquia, assim que concluísse o projecto de reestruturação da Rede Escolar.

O autarca revelou, também, que, como era esperado, tendo em conta a lista de candidatados apresentada pelo Partido Social Democrata, nas eleições autárquicas de 2005, será Dolores Monteiro a assumir os pelouros que eram da responsabilidade de Nazaré Pereira, nomeadamente a Educação e a Gestão de Pessoal, Contabilidade e Saúde, sendo de realçar que a pasta da Acção Social passa, agora, a ser compartilhada com Manuel Martins.

“Dolores Monteiro vai já participar na próxima reunião do Executivo que se realizará no dia 20, altura em que todos os Vereadores escolherão quem assumirá a função de Vice-Presidente da autarquia” – avançou o líder “laranja”.

Relativamente à Presidência do Conselho de Administração da Vila Real Social, função que também era desempenhada por Nazaré Pereira, será assumida pelo próprio Presidente da Câmara que sublinhou, no entanto, que a situação das actuais Empresas Municipais está a ser repensada, podendo haver, em breve, alterações nas suas estruturas, acrescentando: “Questionamos, mesmo, se algumas delas continuarão a ter razão para existir, face à actual lei”, explicou Manuel Martins.

Artur Vaz, Vereador socialista, é crítico, em relação à situação, lembrando que “não foi, apenas, um Vereador que renunciou, foi o Vice-Presidente”, considerando que, na carta de renúncia, não estavam claras as razões que levaram à saída de Nazaré Pereira: “Politicamente, ninguém deixa um cargo destes sem motivos muito graves. Não é o final de um ciclo” – defende o Vereador socialista, recordando que “era bem visível um mau estar latente”, entre os dois Sociais-Democratas.

“Tenho pena que ele (Nazaré Pereira) não se tivesse apercebido, quando foi eleito número dois da autarquia, que já é hábito do Presidente da Câmara usar e deitar fora”, criticou Artur Vaz, sem, no entanto, querer tecer mais comentários, sobre o futuro Vice-Presidente e sobre a Administração da Empresa Municipal Vila Real Social, deixando, apenas, a ideia de que Manuel Martins “escolherá quem entender”.

Nazaré Pereira foi Deputado na Assembleia da República, eleito pelo Distrito de Vila Real, durante duas legislaturas, posto o que abandonou, para integrar a lista de Manuel Martins às Autárquicas de 2005.

Manuel Martins recordou que, pela segunda vez, a autarquia tem que encontrar um novo Vice-Presidente, sendo que o primeiro caso, ocorrido há onze anos, foi diferente, uma vez que não se tratou de uma renúncia, mas, sim, da demissão de António Caseiro Marques.

“O que aconteceu, há 11 anos, foi a demissão e não a renúncia do Vice-Presidente”, lembrou Manuel Martins, salientando que se mantêm intactas “a amizade pessoal e a estima”, entre si e Nazaré Pereira.

 

Maria Meireles

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.