Quinta-feira, 5 de Agosto de 2021

Novo lar do Planalto de Jales deverá ser inaugurado em julho

A Estrutura Residencial para Idosos (ERPI) do Centro Social e Comunitário do Planalto de Jales, no concelho de Vila Pouca de Aguiar, deverá estar concluído no final de julho, conforme confirmou à VTM o presidente da instituição, Fernando Gonçalves.

-PUB-

“O prazo para a conclusão era já para junho, mas houve alguns atrasados devido à pandemia e também à chuva, por isso acredito que no final de julho ou início de agosto estará pronto para receber utentes”.

Esta ERPI é um sonho com cerca de 30 anos, num investimento de 833 mil euros, que foi possível concretizar graças a um empréstimo bancário. “Só no ano passado foi possível avançar com o projeto, pois não tínhamos dinheiro e as comparticipações dos utentes são muito baixas”, revela o responsável pelo Centro Comunitário, que também será renovado através de uma candidatura ao Portugal 2020, que já teve luz verde. 

“Conseguimos um financiamento de 120 mil euros, através de uma candidatura ao 2020, que foi aprovada, e que servirá para renovar a parte interior do edifício velho”. 

Localizado numa zona marcada pela emigração e onde o envelhecimento da população é uma realidade, a nova valência vem colmatar uma lacuna há muito sentida pela direção, como nos salientou a assistente social, Bárbara Gonçalves. “No Planalto de Jales, cerca de 90 por cento da população é idosa. Há muitos emigrantes que têm cá os pais, que por vezes não têm qualquer retaguarda familiar”, por isso, este novo lar será uma resposta para os acolher, “uma vez que sentimos essa necessidade”.

A ERPI terá capacidade para três dezenas de utentes e vai criar novos postos de trabalho em Alfarela de Jales, onde está localizado. “Vai ser uma estrutura nova, com todas as condições e teremos de contratar mais pessoal. 

Iremos dar preferência às pessoas que aqui vivem”.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.