Quarta-feira, 20 de Outubro de 2021

Oito milhões para investir nos quartéis de bombeiros

Este ano poderá ser um marco importante na modernização e requalificação dos quartéis dos bombeiros do distrito de Vila Real, num investimento que representa cerca de 8 milhões de euros. No seguimento de um plano do Ministério da Administração Interna, o Governo Civil garante que onze associações humanitárias vão ver as suas instalações beneficiadas.

-PUB-

Em 2011, o distrito contará com três novos quartéis: o da Salvação Pública de Chaves, o da corporação de Favaios, e outro em Santa Marta de Penaguião, que foi recentemente inaugurado. Em obras entrará o quartel da Cruz Branca, em Vila Real, enquanto a sua congénere da Cruz Verde deverá concluir a intervenção ainda este ano.

Este é um dos maiores investimentos feitos na qualificação e modernização das instalações dos bombeiros do distrito de Vila Real. Delineado em 2008 pelo Ministério da Administração Interna, MAI, em 2011 ganha um novo impulso, com várias intervenções previstas. O representante do Governo elencou um conjunto de obras previstas no distrito. “Neste momento, temos 11 quartéis intervencionados ou a intervencionar. Assim, nos novos quartéis, o de Santa Marta de Penaguião já foi inaugurado e representou uma velha aspiração concretizada. Em Chaves está em construção o quartel dos Bombeiros de Salvação Pública, situado na parte Norte da cidade, que deverá ser inaugurado durante 2011. Será um espaço moderno, capaz, com uma arquitectura muito interessante, que irá acolher a Protecção Civil Municipal e o dispositivo da corporação. O quartel de Favaios também está a ser construído e as obras correm a bom ritmo. É um edifício de raiz que vem solucionar muitos problemas de logística”.

Neste conjunto de obras, há uma outra parte direccionada para ampliações, remodelações e outros trabalhos de beneficiação. “Em Vila Real, temos o quartel da Cruz Branca, previsto para a zona das Flores. Porém, há ainda um problema com o arranque da obra por causa de um terreno, mas em breve a situação será desbloqueada. Entretanto, o contrato já foi assinado. Em execução está o quartel da Cruz Verde, que possui uma arquitectura antiga lindíssima, cuja traça será respeitada, e a conclusão dos trabalhos será ainda este ano”.

No concelho de Valpaços, o quartel de Carrazedo de Montenegro já está em obra. Será construída uma nova camarata feminina, o espaço para as viaturas será beneficiado, assim como a área social para os bombeiros. “É um edifício que fica bem enquadrado, e deverá ficar pronto durante este ano”, salientou Alexandre Chaves. O quartel dos bombeiros da Régua também irá ser requalificado, com a reparação do telhado, remodelação interior e serão melhoradas as condições na ala feminina.

Embora ainda sem obra, o Governador Civil do Distrito de Vila Real apontou dois novos quartéis a construir no distrito, no entanto, os processos têm sido morosos, como é o caso do quartel de Vila Pouca de Aguiar. “Está previsto a construção de instalações novas para Vila Pouca de Aguiar. É um dossier longo. Primeiro estava previsto para um terreno de loteamento, porém este não se concretizou. Contudo, foi encontrada uma nova solução por parte da Câmara Municipal, que já foi submetida à Autoridade de Protecção Civil, que deu um parecer condicionado, mas agora já está a aguardar o parecer final. O quartel de Alijó ainda não começou porque alteraram um pouco a configuração do projecto, mas o arranque das obras deverá avançar até Junho”.

Para o futuro, já estão aprovados projectos para novas candidaturas para os quartéis de Sabrosa e de Murça. “Em Sabrosa, as instalações já não respondem às necessidades e ao desenvolvimento da corporação. É necessário melhorar o espaço interior para as camaratas femininas e os balneários”.

Este responsável referiu o “gigantesco esforço do Governo e autarquias” de 8 milhões de euros, que estão a ser investidos na Protecção Civil e nos quartéis no distrito. Neste valor não estão incluídos os quartéis de Murça, Sabrosa e de Vila Pouca de Aguiar. “As candidaturas estão aprovadas pelo QREN, que comparticipa cerca de 75 por cento e os bombeiros suportam o restante, com a ajuda das autarquias e outras instituições”, frisou.

Alexandre Chaves aproveitou para referir outras iniciativas do Governo Civil na área da protecção civil dirigida aos bombeiros. Uma delas vai já decorrer a 1 de Março. “O Governo Civil entendeu que deveria melhorar a presença individual dos nossos soldados da paz, em concreto no que diz respeito às fardas usadas nos fogos florestais, que têm um desgaste rápido. Além da necessária beneficiação em termos de segurança, os bombeiros têm de ter uma apresentação com dignidade. Assim, em 1 de Março, dia da Protecção Civil, vamos fazer a primeira entrega dos equipamentos para combate para incêndios florestais às 27 corporações do distrito. É uma medida que ronda os 536 mil euros”.

O governador civil avançou ainda duas novidades. “Ainda este ano, vamos fazer uma outra candidatura para equipamentos de fogos urbanos. Os bombeiros do distrito de Vila Real, em teatro de fogo e fumo intenso, têm que ter a devida protecção individual. Ao mesmo tempo, estamos a negociar com a CCDRN a possibilidade de aquisição de viaturas para os bombeiros. Há uma série de corporações que não possuem veículos ligeiros e pesados para a luta contra os incêndios florestais e, sabe-se que, estas intervenções provocam desgaste rápido e danos nos parques automóveis das associações. É um processo ao qual estará associada a Federação Distrital dos Bombeiros e vamos avançar com uma proposta para apoiarmos as associações que tenham maiores necessidades neste âmbito”.

Por fim, deixou uma outra novidade. Em Maio, no dia dos Bombeiros, será inaugurada em Chaves a primeira Unidade Local de Formação. “Este equipamento tem como objectivo melhorar as solicitações das populações. Aliás, no distrito de Vila Real não tínhamos nenhum espaço para formação. Era uma aspiração antiga dos nossos bombeiros e conseguimos encontrar um espaço adequado nas instalações dos Bombeiros Voluntários Flavienses, contando com a colaboração da Câmara Municipal de Chaves, o Governo Civil e Federação Distrital. Este investimento rondou os 60 mil euros, tendo sido já assinado o respectivo protocolo com a Escola Nacional de Bombeiros. “Tudo isto vai melhorar os comandos, as equipas de combate que irão dar melhores respostas aos problemas com que são confrontados”.

De sublinhar que, o Governo Civil de Vila Real já pensa no dispositivo para combate aos fogos florestais da próxima campanha. Embora a realidade do país não esteja famosa a nível de recursos financeiros, Alexandre Chaves garante “um dispositivo no distrito que seja capaz de dar resposta aos problemas dos fogos florestais”.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.