Sábado, 16 de Outubro de 2021

Pais lamentam que arguido “nunca tenha pedido desculpa” pela morte da filha

Na primeira sessão de julgamento, o caçador, de 59 anos, que está a ser julgado pelo homicídio de Paula Lopes, de 28 anos, que caminhava na Estrada Nacional (EN) 15, perto de Leirós, optou por manter o silêncio perante o coletivo de juízes do Tribunal de Vila Real.

-PUB-

O arguido, António Fernandes, está acusado pelo Ministério Público (MP) dos crimes de homicídio qualificado, homicídio na forma tentada e ainda um crime contra a preservação da fauna e das espécies cinegéticas.

Segundo o MP, tudo aconteceu ao final da tarde do dia 5 de julho de 2017, quando António Fernandes estava a caçar javalis, com uma espingarda e num terreno próximo de uma reta da Estrada Nacional (EN) 15, perto da aldeia de Leirós, no concelho de Vila Real.

Ainda de acordo com a acusação do MP, o arguido terá avistado um javali a atravessar a estrada e disparado, atingindo Paula Fernandes, que estava a fazer uma caminhava juntamente com uma amiga. “As duas amigas vestiam

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.