Quinta-feira, 11 de Agosto de 2022

Papa Francisco vai criar D. Manuel Clemente como cardeal a 14 de fevereiro

O consistório público para a criação de 20 cardeais (15 dos quais eleitores) vai decorrer no próximo sábado, depois de dois dias de debate sobre a reforma da Cúria Romana, para os quais o Papa convocou todos os membros do Colégio Cardinalício.

-PUB-

O Patriarcado de Lisboa revelou que 300 pessoas da capital portuguesa e do Porto vão acompanhar no Vaticano o consistório de criação de cardeal de D. Manuel Clemente.

No dia 16, o patriarca de Lisboa, vai presidir a uma Missa na igreja de Santo António dos Portugueses, em Roma, pelas 11h30, a que se segue um almoço com o novo cardeal.

De regresso a Portugal, a primeira celebração do novo cardeal vai decorrer na Sé de Lisboa, a 18 de fevereiro, com a Missa de Quarta-feira de Cinzas (19h00).

A 22 de fevereiro, D. Manuel Clemente vai proferir a primeira catequese quaresmal, no Mosteiro dos Jerónimos, às 16h30, a que se segue uma sessão de apresentação de cumprimentos, aberta a todos os que desejarem participar.

No dia em que teve conhecimento da nomeação pontifícia, D. Manuel Clemente afirmou que o facto de ser escolhido para cardeal vai ser uma oportunidade para “colaborar mais diretamente” com Papa Francisco, cujo “pontificado e pensamento” se identifica “absolutamente”.

O cardeal José Saraiva Martins disse à Agência ECCLESIA que a criação cardinalícia de D. Manuel Clemente, este sábado, representa um “momento histórico” para a Igreja Católica em Portugal.

A Embaixada Portuguesa junto da Santa Sé vai promover uma receção oficial ao novo cardeal e às delegações oficiais que vão acompanhar estas celebrações.

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.