Quarta-feira, 10 de Agosto de 2022

Pastel de Chaves já tem selo europeu

Com mais de 150 anos, o salgado de carne picada tem agora proteção europeia. Certificado de garantia poderá dar um impulso à sua exportação

-PUB-

A Representação da Comissão Europeia em Portugal divulgou, no dia 26, a aprovação da inscrição do Pastel de Chaves no registo europeu das Indicações Geográficas Protegidas (IGP).

A aprovação representa o culminar de um longo processo que não surpreendeu o presidente da Câmara Municipal flaviense, António Cabeleira, mas que trará dividendos para a economia do concelho.

“Este é o resultado natural de todo um trabalho desenvolvido. Não havia nada que indicasse que o desfecho não fosse esse”, congratulou-se o autarca, sublinhando a qualidade dos pastéis e a forma como ele é produzido, respeitando as técnicas e a receita ancestral.

A denominação IGP serve exatamente como garantia de que se trata de um produto com características muito específicas, com uma produção restrita a um território e cuja “confeção se faz de acordo com as tradições”.

Mas é também o selo europeu que poderá servir de rampa de lançamento para o negócio dos pastéis. “Neste momento temos seis produtores que comercializam para fora da região, estou certo que vão aparecer mais”, revelou António Cabeleira, explicando que a “grande vantagem” do produto é o seu potencial de exportação, uma vez que este pode ser produzido em Chaves e congelado, para que o “acabamento” seja feito no consumidor final, “em qualquer parte do mundo”.

O Pastel de Chaves é “um folhado salgado, em forma de meia-lua, recheado com carne de vitela picada e que há mais de 150 anos representa o melhor da gastronomia flaviense”.

Com o selo europeu “ficam proibidas todas e quaisquer práticas que, sem direito, utilizem ou façam apelo à denominação registada, Pastel de Chaves, para poderem beneficiar do seu prestígio ou da sua reputação”.

O Pastel integra agora uma lista de mais de 1.200 produtos protegidos geograficamente, entre os quais também se encontram, por exemplo, a Alheira de Mirandela, a Batata de Trás-os-Montes, o Presunto Bísaro de Vinhais ou a Sangueira do Barroso (Montalegre), entre muitos outros.

A Câmara Municipal tem ainda em curso o processo de certificação, também enquanto IGP, do Folar de Chaves, um produto que, tal como acontece com o Pastel, tem características muito especificas ao nível das técnicas de produção e dos ingredientes, em especial dos enchidos.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.