Quarta-feira, 17 de Agosto de 2022

Polémica Estrada do Alvão é inaugurada hoje

Depois de garantidas as condições de preservação das espécies e dos habitats identificados no local, a construção da tão ambicionada estrada avançou e a via já está mesmo aberta à circulação automóvel. Depois de mais de duas décadas de impasse, os 800 metros de estrada que ligam as aldeias de Lamas de Ôlo (Vila Real) […]

-PUB-

Depois de garantidas as condições de preservação das espécies e dos habitats identificados no local, a construção da tão ambicionada estrada avançou e a via já está mesmo aberta à circulação automóvel.

Depois de mais de duas décadas de impasse, os 800 metros de estrada que ligam as aldeias de Lamas de Ôlo (Vila Real) e Barreiro (Mondim de Basto) vai ser inaugurado hoje, dia 29, pelas 15h30.

A construção da via, localizada em pleno Parque Natural do Alvão, vai poupar 13 quilómetros na ligação entre os habitantes das duas localidades mas mereceu uma forte contestação por parte dos ambientalistas, que chegaram mesmo a recorrer aos tribunais para travar o projeto.

 

A Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza defendia que a construção da estrada iria “agravar ainda mais a situação” do lobo ibérico, “espécie que está em iminente risco de desaparecer” daquela zona protegida.

 

Os ambientalistas consideravam que a infraestrutura, tal como estava pensada inicialmente, traria “efeitos negativos nas já ameaçadas alcateias, com a previsível passagem de milhares de carros por ano em locais que atualmente têm uma intensidade quase nula de tráfego automóvel”.

 

Alegando ainda que a nova via iria ter repercussões negativas no habitat da borboleta-azul e iria acabar com o último percurso pedestre entre Lamas de Olo e as Fisgas do Ermelo, a Quercus chegou a apresentar uma providência cautelar para impedir a sua construção.

 

A situação ficou resolvida quando, em junho do ano passado, foi assinado um memorando de entendimento entre a Câmara Municipal de Vila Real e a Quercus, no qual ficou garantido que a construção teria em linha de conta a salvaguarda dos habitats daquela zona.

 

Segundo o documento “a concretização da ligação promoverá uma desejável aproximação dos habitantes residentes naqueles dois lugares e trará benefícios acrescidos para os residentes no Barreiro, nomeadamente os tempos de deslocação à cidade de Vila Real e aos serviços básicos”.

 

Por outro lado, o memorando de entendimento vem garantir que a compatibilização da construção e manutenção da infraestrutura com a “preservação das espécies e dos habitats identificados naquele local”.

“É a conversar que a gente se entende”, sublinhou o vereador da autarquia vila-realense, Adriano Sousa, na assinatura do memorando, um documento que nasceu de um consenso depois de várias reuniões com os responsáveis pela Associação Nacional de Conservação da Natureza.

 

De recordar que a restrição da circulação, a garantia de um piso em calçada e a manutenção da atual ponte foram alguns dos compromissos assumidos pela autarquia no acordo estabelecimento com os ambientalistas.

 

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.