Quarta-feira, 4 de Agosto de 2021

Polícia espanhola interceta autocarro português com excesso de passageiros

O veículo, que tinha como destino final a Suiça, foi intercetado em Zamora.

-PUB-

A polícia espanhola intercetou o autocarro em Zamora, obrigando o seu regresso a Portugal devido ao número de passageiros ser superior ao permitido pelas restrições do estado de emergência em vigor em Espanha devido ao coronavírus.

A Polícia Nacional espanhola tinha obrigado os passageiros a serem divididos por dois veículos, junto à fronteira de Portugal com Galiza, o que foi feito inicialmente, mas alguns quilómetros depois os viajantes voltaram a ser colocados num só autocarro. A informação foi avançada pela Guardia Civil (correspondente à GNR), em comunicado.

Mais tarde, uma patrulha da Benemérita parou o autocarro quando este circulava na auto-estrada A-52 em Rias Bajas (costa oeste da Galiza), onde verificaram que a separação obrigatória entre passageiros não era respeitada.

Os agentes souberam mais tarde que o condutor do veículo já tinha sido avisado e instado a corrigir a situação quando atravessou a fronteira.

O autocarro estava a caminho da Suíça, e deveria fazer uma paragem em França, mas foi obrigado a voltar para território português quando estava em Zamora (Castela e Leão) por causa da irregularidade detetada. Como o veículo não cumpriu as restrições para a segurança dos passageiros impostas pelo estado de emergência e era um infrator reincidente, os agentes da autoridade obrigaram o autocarro a regressar à fronteira com Portugal, em Chaves.

As medidas implementadas devido à covid-19 obrigam os passageiros dos autocarros e outros transportes públicos a estarem separados por uma distância de mais de um metro, o que os impede de se sentarem lado a lado.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.