Domingo, 24 de Outubro de 2021

População preocupada com abatimentos na estrada provocados por mina

Deputados municipais acusam DGEG de “inércia”. No entanto, esta contrapõe e diz que irá apresentar um “plano de intervenção que, caso se justifique, poderá envolver uma intervenção imediata, além da intervenção mais complexa, a prazo”.

-PUB-

A principal estrada de acesso às localidades de Campo de Jales, Cidadelhe de Jales e Reboreda a Vila Pouca de Aguiar está cortada desde o dia 22 de novembro devido aos abatimentos de terra. A situação não é nova e a população reclama medidas para resolver o problema, que parece não ter fim à vista. 

Neuza Pires, que mora a escassos metros do último abatimento, lamenta o “pingue-pongue” de empurrar responsabilidades de um lado para o outro e ninguém fazer nada. “A câmara empurra para a junta de freguesia, que diz que a responsabilidade é da câmara, que por sua vez diz que é o Governo que tem de intervir. Andamos nisto e ninguém resolve nada”,

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.