Segunda-feira, 2 de Agosto de 2021

Populações raianas sofrem com o fecho das fronteiras

Quase dois meses depois do encerramento das fronteiras entre Portugal e Espanha, as sete eurocidades ibéricas uniram-se e falaram a uma só voz exigindo medidas excecionais para as populações que vivem dos dois lados da fronteira.

-PUB-

Pela primeira vez, num evento inédito, e “num momento tão especial e excecional”, as sete eurocidades ibéricas reuniram-se, online, para debater o impacto que a pandemia de Covid-19 teve na cooperação transfronteiriça. “Esta crise sanitária, com o fecho das fronteiras, está a causar graves obstáculos na convivência e também na economia”, começou por referir Pablo Rivera, secretário executivo da Eurocidade Chaves Verín e secretário geral da Rede Ibérica de Entidades Transfronteiriças (RIET). 

Os autarcas de cada uma das eurocidades foram unânimes no que diz respeito às dificuldades que o encerramento das fronteiras, a 16 de março, causou aos habitantes das localidades raianas, não só económicas, mas também sociais. “As eurocidades têm um status muito próprio. Os

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.