Sexta-feira, 24 de Setembro de 2021

Prémio João de Araújo Correia atribuído a Manuel Pereira da Costa

Manuel Pereira da Costa é o vencedor do Prémio literário nacional João de Araújo Correia, com o conto “O Porteiro de Rachmaninov”.

-PUB-

A cerimónia de entrega de prémios aconteceu no domingo, no Auditório Municipal do Peso da Régua.

O júri justificou a sua decisão, sublinhando o “rigor da arquitetura narrativa”, a “excelência da expressão escrita”, bem como a “força das linhas temáticas, com destaque para o valor da arte e a problemática da emigração”.
Apesar do regulamento do Prémio Literário Nacional João de Araújo Correia considerar a atribuição de duas menções honrosas, atendendo à elevada qualidade dos contos apresentados, o júri decidiu atribuir três menções honrosas aos seguintes contos: A Confissão, da autoria de Ilídia Henrique Ferreira Vale; Douro apresentado a concurso por Maria Helena Abreu de Azeredo Malheiro e O quarto dos fundos, da autoria de Gislaine Buosi Fechus Monteiro.

José Manuel Gonçalves, presidente da Câmara de Peso da Régua, sublinhou a parceria com a Tertúlia João de Araújo Correia, deixando claro que o “desenvolvimento de um território assenta na cultura e em iniciativas capazes de promover a nossa identidade”. 

Esta iniciativa ultrapassou as fronteiras nacionais. Além dos candidatos portugueses, este prémio literário registou a participação de candidatos oriundos do Brasil, Moçambique, Angola, Suíça, Canadá, França, Alemanha, Espanha e Bélgica, num total de 417 contos.  
O júri foi presidido por A.M. Pires Cabral, escritor, com publicações na área da poesia, teatro, romance, conto, ensaio e crítica, vencedor do Prémio Círculo de Leitores e Prémio D. Diniz e constituído por Mónica Baldaque, escritora; Isabel Alves, pró-reitora da UTAD e Maria José de Figueiroa-Rego, investigadora científica (Filosofia) IF/FLUP. 

A organização pretende que João de Araújo Correia seja um prémio bienal, numa homenagem ao escritor reguense – João de Araújo Correia, considerado por muitos o maior contista português.

O escritor nasceu em 1899, em Canelas, Peso da Régua, e faleceu a 31 de dezembro de 1985.

Entre 1938 e 1980 foi autor de mais de 40 títulos, para além de artigos e conferências publicados em jornais. 

Entre a sua obra incluem-se livros como a “Contos Bárbaros”, “Contos Durienses”, “Terra Ingrata”, “Três Meses de Inferno”, “Cartas da Montanha”, “Folhas de Xisto”, “Manta de Farrapos”, “Montes Pintados”, “Pó Levantado” e, postumamente, foi editado “Linguagem da Minha Terra”.

Para além do prémio, neste ano em que o escritor faria 120 anos, a câmara e a Tertúlia vão também apresentar, no dia 15 de dezembro, uma antologia de todas as crónicas que João de Araújo Coreia escreveu sobre as aldeias de Canelas e Poiares.

A antologia denomina-se “De Canelas a Poiares é um salto de lavandisca”, vai ser apresentada na aldeia de Poiares e conta com a colaboração da união de freguesias local.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.