Segunda-feira, 4 de Julho de 2022

Professor foi detido por suspeita de abusos sexuais

“Foi uma má sensação, indescritível, quando soube que o professor de música da associação era suspeito de pedofilia. Além da surpresa, pois não esperava tal situação, ele era meu vizinho e levava, sempre, o meu filho, para as aulas”. Esta foi a confissão do Presidente da Associação de Jovens do Concelho de Armamar, João Cruz, […]

“Foi uma má sensação, indescritível, quando soube que o professor de música da associação era suspeito de pedofilia. Além da surpresa, pois não esperava tal situação, ele era meu vizinho e levava, sempre, o meu filho, para as aulas”. Esta foi a confissão do Presidente da Associação de Jovens do Concelho de Armamar, João Cruz, ainda “estupefacto”, pelo sucedido.

Após a detenção preventiva do professor, no estabelecimento prisional de Vila Real, a Associação vai levar a efeito uma reunião, com os pais das crianças que frequentavam as aulas, para decidirem se as mesmas vão continuar ou não. O ambiente que se vive, no seio da agremiação, não é o melhor, dado o choque que provocaram as suspeitas que recaem sobre o professor.

Segundo João Cruz, “as crianças estão, emocionalmente, bem . Julgo, até, que não se aperceberam da dimensão de todo este caso e das suas implicações”.

O caso também colheu de surpresa os habitantes de Salzedas, terra natal do acusado.

“Ninguém estava à espera de uma coisa destas. Ele é bom rapaz e sempre foi educado. Ainda não acredito que tivesse feito aquilo”, disse uma das residentes nesta aldeia do concelho de Tarouca que pediu anonimato, “pois conheço-o, desde pequenino”.

Nesta altura, o processo está a ser acompanhado pela Comissão de Protecção de Crianças e Jovens local e pela Polícia Judiciária de Vila Real que ouviu, já, também, a AJCA.

Recorde-se que o professor detido, de 30 anos, natural de Salzedas (Tarouca), tocava trompete em várias bandas de música da região. Trabalhava na Câmara Municipal de Tarouca e jogou alguns anos futebol, no clube desta cidade e no Sporting Clube de Armamar. É suspeito de ter sido apanhado na casa de banho do Centro Paroquial de Armamar, local onde dava as aulas, numa sessão de exibicionismo genital a cinco alunos, quatro meninas e um menino. Vários pais apresentaram, então, queixa na GNR.

Neste momento, as investigações prosseguem, para confirmar se houve ou não situações de abuso sexual. As classes de música da AJCA têm cerca de vinte alunos, entre os cinco e os vinte anos.

 

Jmcardoso

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.