Quarta-feira, 8 de Dezembro de 2021

Programa “Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas” já arrancou

Os primeiros dez voluntários já estão no terreno, prontos vigiar a floresta do concelho de Mesão Frio.

-PUB-

Dez jovens, com idades entre 18 e os 30 anos, iniciaram ontem, dia 1 de julho, a primeira quinzena do programa «Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas», decorrente de duas candidaturas distintas: uma realizada pela autarquia (6 voluntários) e outra, pela Junta de Freguesia de Mesão Frio – Santo André (4 voluntários), ao programa de voluntariado juvenil promovido pelo Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P. (IPDJ).

Os voluntários foram recebidos esta quarta-feira de manhã no Salão Nobre dos Passos do Concelho pelo presidente da câmara municipal de Mesão Frio, Alberto Pereira,e pelo presidente da junta de freguesia de Mesão Frio-Santo André, António Nunes, que acolheram os grupos de jovens que vão reforçar a vigilância florestal, preservar a natureza e as florestas, sensibilizar a população, limpar, conservar as zonas de lazer e promover iniciativas de reflorestação, intervindo de forma útil, cívica e eficaz.

Na receção aos voluntários, o autarca apelou ao bom senso e ao redobrado sentido de responsabilidade destes jovens, particularmente no atual contexto de pandemia, frisando a relevância das funções que lhes foram confiadas, para prevenir incêndios, não só no concelho, mas também, nos concelhos vizinhos, como já sucedeu no ano anterior. A cada elemento, o edil ofereceu um kit composto por duas máscaras comunitárias, confecionadas pelas costureiras voluntárias do Contrato Local de Desenvolvimento (CLDS) 4G Porta D’Ouro, da Santa Casa da Misericórdia de Mesão Frio, uma mochila, um cantil, luvas, t-shirt e chapéu.

À imagem de anos transatos, os voluntários foram repartidos em equipas de dois elementos, por áreas mais suscetíveis a incêndios, nomeadamente, nos miradouros de São Silvestre, da Cruz de Donsumil e da Senhora da Piedade, nas praias fluviais da Rede, Porto Rei e do Rio Teixeira, no lugar do Rojão de Cima e no Castro de Cidadelhe.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.