Sexta-feira, 3 de Dezembro de 2021

PSD votou contra e acusa executivo de fazer “desaparecer 9 milhões de euros”

O Relatório de Gestão e Contas do Município de Vila Real, referente ao exercício de 2018, foi aprovado por maioria na última Assembleia Municipal.

-PUB-

O PSD votou contra este relatório, por “não traduzir a realidade”, uma vez que apresenta uma taxa de execução da receita de 89,1% devido a uma “operação que o senhor presidente ordenou no último dia útil de 2018, que retirou 9 milhões de euros às receitas previstas”, revela a declaração de voto dos sociais-democratas. 

Segundo Vasco Amorim, deputado municipal do PSD, esta modificação orçamental “aumentou em 19% a taxa de execução do orçamento do lado da receita, de 69,6% para 89,1%”. 

Já na despesa, o relatório apresenta uma taxa de execução de 87,7%, mas que “na realidade sem este artificio, do senhor presidente, teria uma taxa de execução de 67,8%”.

Em declarações à VTM, Vasco Amorim refere que os números finais do relatório de gestão e contas foram “falseados”, por uma operação no “último dia útil de 2018, em que o senhor presidente da câmara ordenou que fossem retirados 9ME”.

Acrescenta que essa operação “se não for ilegal, pelo menos eticamente é incorreta, porque começou com um orçamento e alterou esse mesmo orçamento no final, não contribuindo para um cabal esclarecimento dos vila-realenses”. 

O deputado adianta que isto “nunca antes aconteceu no município de Vila Real”, reiterando que governar assim “é fácil, pois no final

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.