Domingo, 25 de Setembro de 2022

Recuperação das áreas ardidas motivou reunião com secretário de Estado

João Paulo Catarino, secretário de Estado da Conservação da Natureza e Florestas, esteve em Vila Pouca de Aguiar a propósito da recuperação das áreas recentemente consumidas pelas chamas

-PUB-

Na quarta-feira, o secretário de Estado reuniu com o presidente da Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar, Alberto Machado, e com o presidente da Junta de Alfarela de Jales, Manuel Machado, representante, ainda, das Juntas de Freguesia de Vreia de Jales e de Tresminas, com o propósito de debater a recuperação das áreas ardidas nestas freguesias, em especial “no que concerne à avaliação dos impactes e ações de recuperação e reabilitação dos espaços florestais e rede hidrográfica afetados”, explicou o município.

De acordo com o autarca aguiarense, deste encontro há a realçar a possibilidade de, “a curtíssimo prazo”, ser desenvolvido um protocolo que visa “a estabilização da área ardida e outras medidas urgentes de primeira intervenção. A este respeito, ficou previamente agendada reunião a desenvolver na Câmara Municipal com a Diretora Regional do ICNF, Sandra Sarmento, já na próxima semana”.

Além disto, ficou acordada a “reposição de potencial florestal através de elaboração de projeto conjunto, no âmbito das “áreas integradas de gestão de paisagem” ou aviso análogo, comparticipado pelo PRR. Pretende-se que haja já obra em meados do próximo ano”, avançou Alberto Machado.

Por último, “o ICNF irá fazer uma avaliação da madeira ardida”, a qual terá “o preço mínimo assumido pelo Estado. Assim não serão permitidas especulações e/ou aproveitamento pelos “madeireiros”, alertou.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.