Domingo, 9 de Maio de 2021

Reforço de 180 milhões de euros no SNS

O Bloco de Esquerda(BE) conseguiu ver hoje aprovadas duas das propostas orçamentais para a saúde, nomeadamente o reforço de 180 milhões de euros para investimento em meios complementares de diagnóstico e terapêutica e a implementação do Plano Nacional de Saúde Mental.

As propostas fizeram parte do conjunto de medidas acordadas entre o Partido Socialista (PS) e o BE para garantir a abstenção do partido na votação do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020) na generalidade.

Em relação ao Plano Plurianual de Investimentos para o Serviço Nacional de Saúde (SNS), a proposta do BE prevê que, em 2020, o Governo inscreva na conta financeira do SNS 180 milhões de euros em despesas de capital que serão preferencialmente afetadas a investimentos que permitam a internalização das respostas em meios complementares de diagnóstico e terapêutica nas instituições e serviços públicos de saúde.

A medida visa a renovação deste equipamento do SNS, reduzindo o recurso a prestadores convencionados, que custa quase 500 milhões de euros por ano ao SNS, segundo as contas do BE.

A proposta foi aprovada, apesar dos votos contra da Iniciativa Liberal, CDS-PP e PSD e a abstenção do Chega.

No âmbito da saúde mental, a proposta do BE aprovada prevê a implementação do Plano Nacional, concretamente através do funcionamento de equipas de saúde mental comunitárias, programas de prevenção e tratamento da ansiedade e depressão ou a oferta de cuidados continuados de saúde mental em todas as regiões de saúde, entre outros.

Esta proposta de alteração viu ‘luz verde’ graças aos votos favoráveis de todos os partidos, com a exceção do PSD, que se absteve.

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.