Sábado, 16 de Outubro de 2021

Resultado negativo para suspeita de coronavírus

O homem, de nacionalidade estrangeira e que se encontrava na zona de Felgueiras, distrito do Porto, deu entrada esta sexta-feira no hospital de São João com infeção respiratória. Resultados deram negativo.

-PUB-

O período de incubação do vírus é de 14 dias e o homem regressou da China no dia 22 de janeiro, onde terá estado em contactado com uma pessoa supostamente infetada pelo 2019-nCoV (Coronavírus).

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou, na quinta-feira, uma situação de emergência de saúde pública de âmbito internacional por causa do surto do novo coronavírus, que já provocou 259 mortos na China, que supõe a adoção de medidas de prevenção e coordenação à escala mundial.

A ministra da Saúde portuguesa, Marta Temido, assegurou que os hospitais de Portugal estão preparados para lidar com uma eventual epidemia e que a situação está a ser tratada de forma “tranquila, mas rigorosa”.

Os sintomas associados à infeção causada pelo novo coronavírus são mais intensos do que uma gripe e incluem febre, dor, mal-estar geral e dificuldades respiratórias, como falta de ar.

A DGS pediu a quem regresse de Wuhan ou de outras regiões afetadas na China e que apresente febre, tosse ou dificuldades respiratórias que contacte o SNS24 – 808 24 24 24.

Numa orientação divulgada na quinta-feira à noite, a DGS informou que os casos suspeitos de coronavírus detetados em Portugal devem ser colocados numa área de isolamento e os profissionais que os detetem devem usar equipamentos de proteção individual.

Com este resultado negativo, Portugal mantém-se, para já, sem registo oficial de qualquer pessoa infetada por coronavírus até porque uma primeira suspeita, que envolvia um homem regressado da China a 25 de janeiro e observado no Hospital Curry Cabral, em Lisboa, foi afastada no dia seguinte, também após realização de exames.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.