Sexta-feira, 3 de Dezembro de 2021

Solidariedade em tempos de pandemia

Sem imunidade aos prejuízos causados pelo novo coronavírus, alguns comerciantes do mercado municipal uniram-se para ajudar quem mais precisa.

-PUB-

A ideia partiu de Ricardo Fontes e rapidamente ganhou adeptos. Ao todo, nove talhos do Mercado Municipal de Vila Real estão de mãos dadas para ajudar os mais carenciados.

“Isto surgiu de uma conversa de amigos e por sermos conhecedores da realidade do nosso concelho”, começou por explicar Ricardo Fontes, dizendo que “até ao momento já recebemos alguns pedidos. Fazemos algumas perguntas para perceber quem realmente merece receber a nossa ajuda e é tudo feito com sigilo absoluto”.

Filipe Lopes associou-se à iniciativa “para ajudar o próximo”. “Felizmente, Deus tem-me ajudado e eu retribuo ao ajudar os outros. Na minha opinião, estas iniciativas fazem sempre falta”.

Também Nuno Fraguito aderiu à iniciativa “para ajudar as pessoas que mais precisam e que, por algum motivo, não têm condições para se alimentar”. Os pedidos de ajuda, diz, não param de chegar, mas alguns foram rejeitados “porque nestas coisas há sempre pessoas que tentam aproveitar-se da boa vontade dos outros”.  Este comerciante acredita que, ainda assim, “há muita gente com vergonha de pedir ajuda”.

Para os cabazes, “cada um dá o que pode” até porque “os tempos não estão fáceis para ninguém”.

QUEBRA NA FATURAÇÃO

A pandemia de covid-19 fez fechar muitos estabelecimentos, as pessoas saem de casa só para o estritamente necessário e os restaurantes que continuam a trabalhar fazem-no em regime de take-away. 

Para estes três comerciantes, só o tempo dirá como será o futuro, ainda que se avizinhem “tempos difíceis”.

“O negócio teve uma quebra bastante acentuada, na ordem dos 80 por cento”, confessa Ricardo Fontes. Como ele, também Nuno Fraguito assume uma quebra na faturação, “principalmente por causa da restauração, mas vamos fazendo força, dia após dia, para alcançar os objetivos”.

Uma das apostas para ultrapassar a crise passa pelas entregas ao domicílio, evitando assim que “as pessoas saiam de casa”.

Estabelecimentos aderentes

  • Talho Oásis da Paz;
  • Carnes Fontes;
  • Talho Lopes;
  • Talho Marão Sol;
  • Talho do Tó;
  • Talho Lavinas;
  • Carnes Silva;
  • Torricarnes;
  • Cenáculo do Leitão.

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.