Quarta-feira, 5 de Outubro de 2022

Surto em Vila Flor atinge Unidade de Cuidados Continuados e autarquia

Um surto de infeção pelo novo coronavírus em Vila Flor, no distrito de Bragança, contabiliza quase meia centena de casos, a maior parte dos quais na Unidade de Cuidados Continuados e na Câmara Municipal.

-PUB-

O presidente do município, Fernando Barros, confirmou à Lusa que testaram positivo 20 dos 29 utentes e quatro dos 30 funcionários da Unidade de Cuidados Continuados da Santa Casa da Misericórdia de Vila Flor.

Na Câmara Municipal há 12 funcionários infetados, o que levou ao encerramento do balcão de atendimento, da secção de Contabilidade e de toda a parte administrativa, como indicou o autarca, salientando que a medida foi tomada antes mesmo de serem conhecidos os resultados da testagem aos funcionários.

Segundo o presidente da Câmara, nos últimos dias têm sido realizados, e continuam a ser feitos, testes em diferentes instituições, como bombeiros e lares de idosos, e até agora os resultados são negativos à infeção.

No concelho transmontano há ainda quatro casos positivos, dois alunos e dois funcionários, numa das escolas, que, segundo o autarca, com a exceção desta situação, “não têm problemas”.

O presidente da Câmara indicou ainda que as várias entidades, incluindo a Saúde e Proteção Civil, estão a trabalhar em conjunto para combater este surto.

Segundo disse, na Unidade de Cuidados Continuados foram tomadas as medidas sanitárias, “a Misericórdia tem capacidade para tratar os doentes”, nomeadamente com alojamentos alternativos para a separação de casos positivos e negativos.

O autarca garantiu que “até agora, os casos positivos estão assintomáticos ou com sintomas ligeiros”.

O distrito de Bragança contabiliza, desde o início da pandemia, cerca de 1.450 casos de infeção e 55 mortes associadas à covid-19.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.